Pixel e HQM cancelam títulos

blog abreNotícia triste para os fãs de histórias em quadrinhos. De uma só vez, perdemos quatro bons títulos em banca, dois deles clássicos. Segundo noticiado no site Planeta Gibi, a Pixel Editora cancelou os títulos Luluzinha e Bolinha após 48 edições da garota de vestido vermelho e 46 números do seu simpático e divertido amigo. Da mesma forma, a HQM Editora decidiu descontinuar os títulos da editora americana Valiant, X-O Manowar e Universo Valiant e investir em encadernados.

Edição de estreia da Luluzinha pela Pixel.

Edição de estreia da Luluzinha pela Pixel.

O lançamento da Luluzinha clássica veio após o sucesso do título Luluzinha Teen, produção exclusivamente brasileira que, por sua vez, veio na cola da Turma da Mônica Jovem, da Mauricio de Sousa Produções (leia notícia sobre o lançamento aqui). Os leitores mais novos tiveram a oportunidade de conhecer o excelente material criado pela cartunista Marge em 1935. As histórias mostravam as travessuras e confusões das crianças com uma inocência característica que atravessaram as décadas e mantiveram hoje o mesmo frescor de quando foram publicadas.

Luluzinha abriu caminho para outros personagens clássicos.

Luluzinha abriu caminho para outros personagens clássicos.

Mesmo com alguns comportamentos politicamente incorretos para os padrões atuais (como quebrar vidraças, vingar-se de gozações e invadir propriedade alheia, entre outros, que deixariam qualquer psicólogo e pedagogo com os cabelos arrepiados), o leitor entendia que tudo não passava de uma brincadeira infantil e jamais influenciaria seu comportamento baseado nos gibis. O sucesso da série foi tanta que a Pixel resgatou diversos outros personagens clássicos como Gasparzinho, Brasinha, Recruta Zero, Popeye, Riquinho e outros. Todos esses títulos tiveram vida curta. Em fevereiro, a Pixel anunciou o cancelamento da Luluzinha Teen e, apenas um mês depois, cancela também a Lulu clássica, deixando os leitores de quadrinhos órfãos.

Heróis da Valiant também tiveram vida curta.

Heróis da Valiant também tiveram vida curta.

A HQM Editora, que trouxe um novo universo de super-heróis para o Brasil, publicado pela editora americana Valiant, também cancelou os dois títulos em banca, X-O Manowar (na 11ª. edição) e Universo Valiant (na 6ª. edição). A justificativa é a baixa vendagem dos títulos, apesar da grande quantidade de fãs dos heróis (segundo a página do Facebook da editora, são mais de 2400 leitores, mas as vendas não atingiam essa marca). A princípio mensais, as revistas vinham apresentando periodicidade indefinida nas últimas edições, o que já era indício de um possível cancelamento. Mesmo assim, a HQM resistiu por mais um período.

Em sua página do Facebook, editora se compromete a concluir os arcos - desde que haja interesse dos leitores.

Em sua página do Facebook, editora se compromete a concluir os arcos – desde que haja interesse dos leitores.

Infelizmente, isso acontece num momento em que os heróis da Valiant serão levados ao cinema, o que aumentaria o interesse nos personagens e, provavelmente, impulsionaria a venda das revistas. Apesar disso, a HQM pretende investir em encadernados e promete concluir os arcos em andamento, publicando as últimas edições das revistas sob demanda. Para tanto, os que desejam adquirir os números derradeiros, devem informar seu interesse na página do facebook da HQM para que os editores possam saber quantas edições serão impressas. Vale lembrar que só devem informar aqueles que realmente forem comprar as revistas, para que a editora não fique com material encalhado.

Até breve, Lulu. Volte quando quiser. :'(

Até breve, Lulu. Volte quando quiser. :'(

Da nossa parte, fica a torcida para que alguma outra editora se interesse por esse material e torne a publicá-los, de modo que esses personagens nunca caiam no esquecimento.

Crítica: Cinderela

blog abreHá pouco a ser dito sobre Cinderela (Cinderella, 2015), o novo longa-metragem da Disney, que estreia no dia 26 de março e adapta o conto de fadas de Charles Perrault, exceto que ele reinventa o clássico desenho animado da própria Disney, lançado em 1950, mas desta vez com atores reais. Contudo, nesta adaptação, a Disney optou por se manter fiel à trama original, diferente do que fez com Malévola (2014), onde recontou a história da Bela Adormecida sobre o ponto de vista da vilã e a transformou em anti-heroína (leia a crítica aqui), e em Caminhos da Floresta (2015), onde Cinderela calça sapatos dourados ao invés de cristal, além do príncipe ter pouco de encantado (leia a crítica aqui).

Cinco patinhos foram passear. Música da Xuxa vai parar nas telonas. Não, pera...

Cinco patinhos foram passear. Música da Xuxa vai parar nas telonas. Não, pera…

Não que isso seja um defeito, pelo contrário. Particularmente, creio que as releituras são sempre positivas, no sentido de explorar um ângulo da história não visto antes, mas a magia do conto original ainda é importante, pois não podemos nos esquecer do objetivo dessas histórias: transmitir um ensinamento aplicável na vida real. Não é à toa que os contos de fada são imortais e vêm sendo contados e recontados de geração em geração.

A Hidra jamais me descobrirá nesse disfarce de camponesa.

A Hidra jamais me descobrirá nesse disfarce de camponesa.

Mas voltando ao filme: a história explora muito mais o relacionamento de Ella (Lily James) – sim, a jovem tem um nome! – e seus pais, interpretados por Ben Chaplin e Hayley Atwell, a Agente Carter da série de TV. É ela quem ensina a filha a sonhar, acreditar em fadas-madrinhas e, principalmente, a ter coragem e ser gentil – frase que se torna um mantra, mais ou menos como “grandes poderes trazem grandes responsabilidades” ensinado ao jovem Peter Parker, antes dele se tornar o Homem-Aranha.

Madrasta chegando para causar.

Madrasta chegando para causar.

Um belo dia, sua mãe morre e o pai casa-se novamente, dando à jovem uma madrasta (Cate Blanchet) e duas irmãs: Drisella (Shophie McShera) e Anastasia (Holliday Grainger). Ambiciosa e cheia de si, o trio de mulheres, logo de cara, começa a abusar da bondade de Ella e a situação fica pior assim que o pai da jovem também morre. A partir daí, passam a tratá-la como uma criada e até colocaram-lhe o apelido de Cinderela – não vou contar o motivo. Vai que você é a Bela Adormecida e esteve hibernando nos últimos 65 anos…

Drisella e Anastasia: futilidade em dose dupla e cores invertidas.

Drisella e Anastasia: futilidade em dose dupla e cores invertidas.

Cinderela nunca reclamava e distraía-se cantando e conversando com seus amigos animais: um ganso e quatro ratinhos, a quem precisava proteger dos ataques de Lúcifer, o gato da madrasta – aí entra o trabalho da empresa Rodeo FX, responsável pelos efeitos visuais na criação dos ratos por computação gráfica. Tudo muda quando ela conhece o príncipe Kit (Richard Madden, de Game of Thrones), se apaixona e é correspondida. Com a perspectiva do amor verdadeiro, Cinderela ganha um incentivo para lutar por sua felicidade e sair das garras da madrasta cruel – se ela deixar, evidentemente.

"Volte antes da meia-noite ou a magia acabará!" E você achando que sua mãe é chata e exigente...

“Volte antes da meia-noite ou a magia acabará!” E você achando que sua mãe é chata e exigente…

As interpretações por vezes soam caricatas e extremistas – Cinderela é excessivamente boa, a Madrasta é excessivamente má e suas filhas são excessivamente fúteis. Tudo no superlativo, para destacar as características de cada personagem. Talvez tenha faltado um pouco mais de realismo – um pouco só, para não estragar a história, como aconteceu em Malévola – mas nada que atrapalhe a diversão. A cena com a participação da Fada-madrinha (a ótima Helena Bonham Carter) e a transformação da abóbora em carruagem, dos ratos em cavalos e o vestido de Cinderela são momentos mágicos e cheios de poesia, como só a Disney sabe fazer. Além disso, remetem ao desenho animado – até a palavra mágica Bibidi-Babidi-Bu foi mantida.

Senhorita, conceda-me o prazer desta dança?

Senhorita, conceda-me o prazer desta dança?

Para finalizar, Cinderela é um filme que traz uma história conhecida com poucas novidades, mas que encanta como se fosse a primeira vez. O figurino belíssimo enche os olhos e a trama resgata o sonho e a fantasia que ficaram perdidos em algum lugar do passado. Algo que está fazendo muita falta em nossos dias tão conturbados. Além, é claro, de nos ensinar que coragem e gentileza podem não ser ingredientes da felicidade, mas certamente colaboram para fazer a vida um pouco melhor.

Elsa pega uma gripe e percebe que o frio pode, sim, incomodar.

Elsa pega uma gripe e percebe que o frio pode, sim, incomodar.

Ah, sim! Já ia esquecendo: o curta-metragem Frozen: Febre Congelante, exibido antes do filme, é uma graça. Elsa pega uma gripe enquanto prepara uma festa de aniversário para sua irmã Anna e, a cada espirro – e sem que ela perceba – cria vários bonecos de neve, os Snowgies, que Olaf considera seus irmãos menores. O curta apresenta também uma nova canção, Making Today a Perfect Day (Fazendo de Hoje um Dia Perfeito), que não tem o mesmo encanto de Let it Go, mas promete se tornar o novo hit da garotada.

Cotação: blog cotação cinderela

Vingadores: A Era de Ultron – Trailer 3

blog VingadoresFoi divulgado nesta semana o terceiro trailer de Vingadores: Era de Ultron, que chega aos cinemas no dia 23 de abril (a estreia foi antecipada em uma semana). O destaque vai para as novas cenas com a Feiticeira Escarlate e Mercúrio, a luta entre o Hulk e o Homem de Ferro em sua armadura “Hulkbuster” (ou Caça-Hulk) e, no final, a primeira aparição do androide Visão. Confira!

Supergirl aparece em primeira imagem oficial

blog supergirlDepois do sucesso de Arrow, Flash e Gotham, a Warner decidiu investir em novas séries de TV dos heróis da DC Comics. A próxima da lista a ganhar um seriado live-action é a Supergirl, prima do Superman, que terá a atriz Melissa Benoist no papel da protagonista. Ela será Kara Zor-El, a jovem que chega à Terra aos 12 anos, após partir do Planeta Krypton antes dele explodir.

Esta semana foi divulgada a primeira imagem oficial da heroína em seu uniforme, que adota tons escuros, a exemplo do que foi adotado no cinema, no filme O Homem de Aço (Man of Steel, 2013) protagonizado por Henry Cavill. O símbolo no peito, porém, remete ao estilo clássico, diferente do design moderno, com a diferença de ter o fundo vazado ao invés de amarelo. Super!

Segundo divulgado pelo site TV Line, a atriz Helen Slater, que protagonizou o longa-metragem da Heroína de Aço  na década de 1980, terá uma participação na série, em papel não revelado. O encontro das duas Supergirls foi registrado por Melissa e divulgado em seu twitter, conforme imagem abaixo. Outro ator relacionado ao universo do Superman que também estará na nova série é Dean Cain, que viveu o Homem de Aço na série Lois & Clark (1993-1997). Vale lembrar que tanto Slater como Cain também tiveram participações especiais na série Smallville (2001-2010), que retratou a juventude do Superman. Os fãs agradecem.

Super encontro: duas gerações de Supergirls. Só faltou a atriz Laura Vandervoort. :-)

Super encontro: duas gerações de Supergirls. Só faltou a atriz Laura Vandervoort. :-)

Aquaman ganha primeira imagem oficial

O rei dos mares está presente

O rei dos mares está presente

A Warner divulgou hoje a primeira foto oficial do Aquaman no filme Batman v Superman: Alvorecer da Justiça, que estreia ano que vem. A imagem segue o mesmo padrão das anteriores, com pouca cor e design sombrio. O visual do herói – que será interpretado pelo ator Jason Momoa – remete aos quadrinhos dos anos 90, com o personagem de armadura, cabelos longos e barba. Ainda bem que esqueceram o gancho! A foto traz os dizeres Unite the Seven (Reunir os Sete), numa referência aos sete principais membros da Liga da Justiça: Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Flash, Lanterna Verde e Ciborgue (na versão Novos 52).

Salvat lança nova coleção de graphic novels

blog abreFaltando cerca de 20 volumes para completar a coleção de encadernados lançados em 2013 (leia notícia aqui), a Salvat anuncia para a próxima quinta-feira, 26 de fevereiro, a nova coleção de graphic novels entitulada Os Mais Poderosos Heróis da Marvel. A coleção já foi lançada há alguns meses em mercado teste e agora chega às grandes praças como São Paulo, Rio de Janeiro, Piauí, Goiás e Rio Grande do Norte.

Imagem da lombada que, espera-se, não tenha problemas desta vez.

Imagem da lombada que, espera-se, não tenha problemas desta vez.

A nova coleção segue o mesmo esquema da anterior: serão 60 volumes, em capa dura, preço amigável (R$ 9,90 para o primeiro volume, R$ 19,90 para o segundo e R$ 32,90 para os seguintes), papel de qualidade e lombada que forma uma imagem única, com ilustração do artista Adi Granov. A diferença está no conteúdo: enquanto a Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel destacava grandes histórias dos heróis, o foco dessa coleção é nos personagens.

Coleção antecipa filme da superequipe

Coleção antecipa filme da superequipe

O primeiro volume é dedicado aos Vingadores e traz o arco A Vingança de Ultron – obviamente, já pensando no filme dos heróis, que estreia em abril. Além disso, traz também a primeira história dos Vingadores, publicada em 1963. Os fascículos seguintes seguem o mesmo esquema, trazendo histórias importantes para o personagem-título, tanto antigas quanto atuais, além de artigos contando detalhes de bastidores da criação dos heróis e uma lista de leitura essencial de cada personagem-título.

Fascículos destacam personagens, incluindo os mais desconhecidos.

Fascículos destacam personagens, incluindo os mais desconhecidos.

A coleção Os Mais Poderosos Heróis da Marvel foi lançada na Inglaterra no início de 2013, mas foi interrompida após o lançamento da quarta edição. No final do mesmo ano, foi relançada e permanece em circulação até hoje – a coleção está na edição 30. Ou seja: nem lá fora temos notícias de quais são os sessenta livros, uma vez que o site oficial não fornece informações precisas.

Quer Dias de um Futuro Esquecido por preço camarada? É sua chance!

Quer Dias de um Futuro Esquecido por preço camarada? É sua chance!

Mesmo assim, segue abaixo uma lista dos números que já foram publicados, com as respectivas HQs presentes em cada fascículo. Vale dizer que essa ordem segue a sequência de lançamento na Inglaterra e pode sofrer alterações na versão brasileira. Atualizaremos a tabela conforme os títulos forem sendo lançados.

Nº. Volume Título HQs originais
1 24 Os Vingadores Avengers (Vol. 3) 0 e 19-22
Avengers 1
2 12 Homem-Aranha Amazing Spider-Man (Vol. 2) 57-58
Amazing Spider-Man (Vol. 1) 500-502
Amazing Fantasy 15
Amazing Spider-Man Annual 1
3 55 Wolverine Wolverine (Vol. 3) 62-65
Incredible Hulk 181
4 10 Hulk The Incredible Hulk (Vol. 2) 12-20
5 29 Gavião Arqueiro Hawkeye 1-4
Tales of Suspense 5
The Avengers 16
6 22 Jean Grey All-New X-Men 1-5
X-Men Origins: Jean Grey
7 49 Luke Cage Power Man and Iron Fist 50-53
Luke Cage 1-3
8 3 Capitão América Captain America 247-255
9 13 Homem de Ferro The Invincible Iron Man (Vol. 5) 1-7
Tales of Suspense 39
10 17 X-Men X-Men: Children of the Atom 1-6
X-Men (Vol. 1) 1
11 27 Viúva Negra Black Widow 1-6
Tales of Suspense 52
The Amazing Spider-Man 86
12 2 Tocha Humana (Original) The Torch 1-8
13 32 Os Três Guerreiros Warriors Three 1-4
Marvel Fanfare #34-37
14 20 Ciclope Marvel Icons: Cyclops 1-4
X-Men Origins: Cyclops 1
15 38 Capitão Marvel Captain Marvel 17-23
Marvel Spotlight On Captain Marvel 1-2
16 57 Os Incomparáveis X-Men Uncanny X-Men 138-142
Marvel Graphic Novel 5
17 6 Mulher Invisível Fantastic Four 280-284
18 42 Visão Avengers Icons: Vision 1-4
Avengers 57-58
19 43 Guardiões da Galáxia Guardians of the Galaxy (Vol. 2)1-6
Thor Annual 6
20 45 Falcão The Falcon 1-4
Captain America 117-119
21 1 Namor Namor The Sub-Mariner 1-9
22 23 Professor X Uncanny X-Men 278-280
X-Factor 69-70
Uncanny X-Men 117
23 40 Miss Marvel/Capitã Marvel Captain Marvel (Vol. 7) 1-6
Ms. Marvel (Vol. 1) 1-3
24 46 Valquíria Fearless Defenders 1-6
25 53 Justiceiro Punisher: Circle of Blood 1-5
The Amazing Spider-Man 129
26 14 Nick Fury Secret Warriors 1-6
Sgt. Fury & His Howling Commandos 1
27 35 Pantera Negra Black Panther (Vol. 4) 39-41
Fantastic Four 52-53
28 56 Homem Múltiplo Madrox 1-5
Giant Size Fantastic Four 4
29 47 Harpia New Avengers: The Reunion 1-4
Marvel Team-Up 95
30 48 Os Defensores The Defenders (Vol. 3) 1-5
31 28 Demolidor Daredevil: The Man Without Fear 1-5
Daredevil 1
32 4 Quarteto Fantástico Fantastic Four 192-200
33 16 Doutor Estranho Doctor Strange (Vol. 2) 68-74
Strange Tales 110
34 Coisa Marvel Two-in-One 53-58
Fantastic Four 51
35 Destrutor X-Men: Emperor Vulcan 1-5
X-Men 54-55
36 Feiticeira Escarlate Avengers West Coast 47-52
X-Men 4

Nova agenda de filmes de super-heróis

blog abreCom a notícia divulgada hoje, de que a Sony Pictures e a Marvel Studios fizeram um acordo que prevê a participação do Homem-Aranha nos filmes da Marvel, a agenda de filmes de super-heróis divulgada anteriormente aqui sofreu pequenas alterações. Com o acordo, o Homem-Aranha ganha um novo filme já em 2017 produzido por Kevin Feige (da Marvel Studios) e Amy Pascal (da Sony). O filme será distribuído pela Sony Pictures.

Por conta do filme do aracnídeo, os outros filmes da Marvel Studios foram “empurrados” e uma nova data foi aberta em 2019. Assim, Homem-Aranha ocupa a data que era de Thor: Ragnarok (28 de julho de 2017). O Deus do Trovão será exibido na data anteriormente prevista para Pantera Negra (3 de Novembro de 2017), que, por sua vez, vai para a data que era da Capitã Marvel (6 de julho de 2018). A heroína cósmica será vista no mesmo ano, em 2 de novembro, data que pertencia aos Inumanos. Estes ganharam um prazo maior e foram para 12 de julho de 2019, depois de Vingadores – Guerra Infinita Parte I. Confira como ficou o calendário de filmes até 2020.

Filmes de super-heróis até 2020

Filmes de super-heróis até 2020

A nota não menciona se Andrew Garfield continuará no papel do herói, mas tudo indica que a Marvel recomeçará a franquia do zero (de novo!). Também não há menção se o filme do Sexteto Sinistro (prometido pela Sony para 11 de novembro de 2016) será realizado. Por via das dúvidas, ele foi mantido no nosso calendário, mas tudo indica que o projeto será cancelado.