Dora Milaje em novo pôster de Pantera Negra

A um mês da estreia do filme Pantera Negra (Black Panther, 2018), a Marvel Studios liberou um novo pôster do longa-metragem, destacando Dora Milaje, o grupo de mulheres guerreiras de Wakanda, designadas para se tornarem as esposas do rei do país. As personagens estão dispostas de forma que preenchem um mapa da África, sobre os adjetivos: “Violentas. Fortes. Guerreiras.”

Entre as guerreiras que pertencem a Dora Milaje estão Okoye (Danai Gurira), Ayo (Florence Kasumba) e Nakia (Lupita Nyong’o), que se tornou a vilã Malice nas HQs do herói negro. O grupo Dora Milaje apareceu pela primeira vez nas HQs do Pantera Negra em Black Panther (Vol. 3) 1 (1998). Pantera Negra estreia dia 15 de fevereiro no Brasil.

Anúncios

Rapidinhas do Mutante 2/2018

O gosto do panetone ainda não saiu do paladar e já estamos na metade do mês de janeiro. O ano voa e as notícias do mundo pop estão a todo vapor. Com vocês, mais uma sessão de Rapidinhas do Mutante.

Não adianta fazer cara feia, Illyana. Vocês vão ficar pro ano que vem.

– Os fãs dos Novos Mutantes vão ter que esperar até o ano que vem para ver a aventura de terror dos heróis na telona. A Fox anunciou esta semana que a produção, marcada para estrear no dia 11 de abril de 2018, mudou a data de lançamento para 22 de Fevereiro de 2019. O motivo: este ano existem muitos filmes com potencial de mercado que poderiam abafar a franquia. Em contrapartida, o segundo longa do Deadpool teve sua data antecipada: passou de 31 para 18 de maio de 2018.

O bom filho à casa torna.

Conan, o Bárbaro, voltará a ser publicado pela Marvel. Depois de 15 anos sendo publicado pela Dark Horse, o cimério retorna à editora que o lançou no mercado de quadrinhos em 1970. Mas os fãs vão ter que esperar um pouco até ver o bárbaro saindo com o selo da Casa das Ideias: o novo título Conan, The Barbarian está agendado para janeiro de 2019, ainda sem uma equipe criativa anunciada. Será que o personagem terá o mesmo prestígio de quando estava nas mãos de Roy Thomas? Vamos aguardar.

Capa da última edição de Secret Warriors. Os dados simbolizam que o título não teve sorte no jogo, nem no amor dos leitores.

– “Os Guerreiros Secretos retornarão. Algum dia. Talvez. Eu não sei.” Foi com essa frase que o título Secret Warriors encerrou sua trajetória na 12º. edição, datada de março/2018 (nos Estados Unidos, as revistas saem dois meses antes da data na capa. Igual no Brasil, aliás… #IronicModeOn ). O título nasceu na sequência da minissérie Império Secreto (um megasucesso da editora #SQN) , em julho/2017 e se mostrou mais uma aposta furada da Marvel, que vem amargando o cancelamento de vários títulos nos últimos meses, entre os quais a revista da Gwenpool (pffft…), América (já vai tarde!), Jean Grey, Geração X, Luke Cage (Culpa da Netflix! Culpa da Netflix!) e Gaviã Arqueira, só pra citar os mais recentes. O texto de “despedida” do roteirista Matthew Rosemberg soou como um desabafo pela falta de visão da editora em lançar títulos sem apelo e depois não saber o que fazer com eles. Bem mais cortes por aí.

Será que teremos uma audiência chocante ou vai só rolar uma faísca?

– Estreia! Esta semana, mais exatamente na quarta, dia 17, estreia Raio Negro, a nova série da super-heróis da DC Comics no canal CW. Estrelada por Cress Willians no papel-título, a série é independente do chamado Arrowverse (séries do canal criadas após Arrow (2011 – ) que pertencem ao mesmo universo interligado) e mostra o aposentado Jefferson Pierce tendo que voltar à vida heroica para salvar sua cidade e proteger sua família.

Bendis saiu da Marvel no final de 2017

– Falando em estreias, já está marcada a estreia do roteirista Brian Michael Bendis na DC. Depois de uma longa carreira na Marvel e ajudando a estabelecer vários momentos icônicos da editora, como o surgimento dos Novos Vingadores após a saga Guerra Civil (2006), uma das fases mais brilhantes do Demolidor (ao lado do desenhista Alex Maleev) e a série Alias (Jessica Jones) além de contribuir na construção do Universo Ultimate, Bendis assinou um contrato de exclusividade com a editora do Superman e terá estreia em alto estilo: será na edição 1000 de Action Comics (a mais icônica revista da DC, que marcou a estreia do Homem de Aço, na edição 1, de 1938). A edição está programada para maio de 2018. 

Coisas que você (provavelmente) não sabia a respeito de Viva – A Vida é uma Festa

O filme Viva – A Vida é uma Festa estreou no último final de semana como terceira maior bilheteria do país. É uma história terna, que explora a cultura mexicana e os valores familiares, com muita sensibilidade e emoção. A animação foi feita com muito cuidado (como todo filme da Pixar, diga-se de passagem) e tem uma série de curiosidades a respeito de sua produção. Nós descobrimos algumas delas e revelamos para você.

“É a glória, garoto!”

1 – O filme estreou no México em 27 de outubro de 2017, três semanas e meia antes da estreia mundial, a fim de sincronizar com o feriado do Dia dos Mortos, que acontece de 31 de outubro a 2 de novembro. Em pouco tempo, tornou-se a maior bilheteria daquele país, superando o até então imbatível Os Vingadores (2012). No Brasil, o filme estreou só em janeiro para aproveitar o período das férias, em que os pais estão em casa para levar as crianças ao cinema.

“Receba as flores que eu lhe dooooooou…”

2 – Um elemento-chave da trama é uma pétala de flor alaranjada. Esta flor é chamada de Cempasúchil,  também conhecida como calêndula asteca ou calêndula mexicana. Ela é realmente usada na tradição do Dia dos Mortos servindo como guia para os mortos chegarem até seus familiares.

Muito carinho com a vovó.

3 – O título original “Coco” refere-se à personagem Mamá Coco, a bisavó de Miguel, que sofre problemas de memória. O nome é um apelido para “Socorro”, nome bastante comum no México. No Brasil, o título do filme foi mudado para “Viva – A Vida é uma Festa” para evitar a cacofonia com a palavra “cocô”.  O nome da bisavó também foi mudado no Brasil para Mamá Lupita.

O computador é velho, mas acessa o blog Raio X.

4 – O filme é tão minucioso nos detalhes que, para quem prestar atenção, a “tecnologia” usada na Terra dos Mortos é composta por antiquados walkie-talkies e computadores MacIntosh da década de 80, simbolizando que até os equipamentos estão “mortos”.

Depois da novela “Vovô e eu”, o filme “Bisavó e eu”.

5 – O ator Gael Garcia Bernal faz a voz do esqueleto Héctor, que acompanha o garoto Miguel em sua jornada pelo reino dos mortos. Bernal é o único ator do elenco que dublou o personagem tanto na versão em inglês quanto em espanhol. Outra curiosidade acerca de Bernal é sua grande amizade com o ator Diego Luna, que dublou o personagem principal de Festa no Céu (2014), animação produzida por Guillermo del Toro que também se passa no Dia dos Mortos e o protagonista (que é músico) vai parar na Terra dos Mortos, tornando-se um esqueleto.

Curta cortado.

6 – Como tradicionalmente acontece nos longas da Pixar, o filme principal é sempre precedido de um curta-metragem. Com Viva não foi diferente: o curta era Olaf em uma Nova Aventura Congelante de Frozen, uma história de Natal protagonizada pelo carismático boneco de neve. No entanto, como o filme estreou no Brasil com dois meses de atraso – e, consequentemente, depois do Natal – ele não está sendo exibido nos cinemas. Mesmo no exterior, a aventura de Olaf também foi suprimida após algumas exibições, porque causou desconforto na plateia devido à sua duração (22 minutos).

Giacchino antes e depois da dieta.

7 – A deliciosa trilha sonora do longa, calcada no alegre ritmo mariachi, é composta pelo músico Michael Giacchino, que também foi responsável pela trilha de filmes como Speed Racer (2008), Divertida Mente (2015), Doutor Estranho (2016) e Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2017), entre outros. O maestro que conduz a orquestra do show de Ernesto de La Cruz no final do filme é uma caricatura “esquelética” de Giacchino. (Ouça a trilha sonora de Viva pelo Spotify, clicando aqui).

Ernesto de La Cruz e sua inspiração.

8 – O personagem de Ernesto de La Cruz foi baseado no ídolo mexicano Pedro Infante (cujo nome verdadeiro era José Pedro Infante Cruz). O ator e cantor atuou em mais de 60 filmes e ganhou o prêmio Urso de Plata no Festival de Cinema de Berlim em 1957. Foi uma das personalidades mais amadas do país, juntamente com Jorge Negrete e Javier Solís, que eram chamados de Los Tres Gallos Mexicanos. Infante também foi representado no filme e interage com Ernesto de La Cruz.

Coincidências animadas

9 – O longa começou a ser produzido em 2011, sendo o filme de maior tempo de produção do estúdio (2011-2017). Por conta disso, as especulações de que seria “cópia” de Festa no Céu (2014) não procedem, uma vez que, quando este estreou, Viva já estava sendo produzido.

Eu entendi a referência!

10 – Como todo filme da Pixar, Viva é repleto de easter-eggs, entre eles: o tradicional A113 (número da sala onde os animadores da Pixar estudaram);  o carro da Pizza Planet; Luxo, a bola amarela; personagens de animações anteriores (Toy Story é de lei) entre outros. No meio de todos estes, há também o momento-merchan: quando Miguel e Héctor chegam à praça onde várias pessoas comemoram os fogos de artifício, na parede, há um pôster de Incríveis 2, que é a próxima animação da Pixar a estrear em 15 de junho de 2018.

Crítica (em vídeo): Viva – A Vida é uma Festa

As primeiras estreias de janeiro incluem a nova animação da Pixar Studios, Viva – A Vida é uma Festa (Coco, 2017), que chega ao Brasil com dois meses de atraso em relação ao exterior, certamente para aproveitar o período das férias escolares, quando as famílias podem ir juntas ao cinema. Veja nossa crítica em vídeo sobre o filme:

Rapidinhas do Mutante 1/2018

Ainda em clima de ano novo, estamos resgatando esta seção, para publicar notícias curtinhas do mundo pop que aconteceram durante a semana. Com isso, devolvemos um pouco do caráter jornalístico do nosso blog, que acabou se perdendo ao longo do tempo.

Novas temporadas

– Duas séries da Marvel foram renovadas para a segunda temporada nesta semana: a primeira delas é The Gifted (Fox), que se passa no universo mutante e terá seu último episódio da primeira temporada exibido esta semana, num especial de duas horas. A outra é Fugitivos (Hulu), uma surpresa em se tratando de um canal streaming. Parece que a série teve ótima aceitação do público pela grande fidelidade aos quadrinhos. Ótima notícia!

Novos encadernados da fase Renascimento

– A DC anuncia “uma invasão” de encadernados nas bancas em fevereiro. Os encadernados com a fase Renascimento têm dado muito certo e o mês que vem trará cinco deles: Flash e Exterminador chegam em seus terceiros volumes, enquanto que os Titãs, Hellblazer e o Novo Super-Man lançam o volume dois de cada um. Prepare o bolso!

Lançamentos Disney

– A Disney também está com novidades nas bancas: a primeira delas é a estreia de Lendas Disney, um encadernado trimestral que trará as primeiras histórias dos personagens. O número de estreia trará o Superpato (192 páginas, capa cartão, R$ 29,90) e chega ainda em janeiro. No mês seguinte, será a vez de Disney Saga (192 páginas, capa cartão, R$ 29,90), publicação trimestral  que trará sempre uma saga completa ou uma série que se estenda por mais de uma edição. A estreia será com A Nova História e Glória da Dinastia Pato, HQ inédita publicada na Itália. Em março chega Os Melhores Anos Disney, no mesmo formato, abordando sempre um ano marcante para as publicações Disney no Brasil. Na estreia, o ano de 1950, ano da estreia de O Pato Donald 1, título que inaugurou a Editora Abril.

Coleção selvagem

– Finalmente, depois de um bom tempo em que foi lançada no “mercado-teste”, chega às bancas em março a coleção de A Espada Selvagem do Conan, pela Salvat. Como as anteriores, será quinzenal, capa dura, com arte na lombada e terá 65 volumes.

Quadrinhos divinos.

– A Editora 100% Cristão lançou uma coleção de quadrinhos baseada em personagens bíblicos. Falaremos detalhadamente sobre elas em um post específico sobre o tema.

A Força está com eles.

Star Wars – O Último Jedi fechou o ano passado como a maior bilheteria de 2017 nos Estados Unidos, segundo o site Box Office Mojo. O filme ultrapassou o líder (desde março) A Bela e a Fera e faturou US$ 539,4 milhões com apenas 15 dias de exibição. Mundialmente, o oitavo capítulo da saga espacial ficou em terceiro lugar, com US$ 1, 129 bilhão. Perdeu para Velozes e Furiosos 8 (US$ 1, 235 bi) e A Bela e a Fera (US$ 1, 263 bi).

Preview 2018

O ano de 2018 já despontou e, como sempre fazemos, nosso primeiro post traz as estreias de cinema deste ano, com nosso “expectativômetro” para cada produção, onde a alta expectativa “acende” a setinha vermelha. Ano passado foi um ano bem rico para o universo nerd, mas este ano não fica atrás. Teremos onze (isso mesmo, ONZE!) filmes de super-heróis – incluindo três desenhos animados – contra seis do ano anterior. Pegue aquela agenda que você ganhou no Natal e anote as datas para não perder nenhum filme!

Emoção no estilo Pixar

Coco – A Vida é uma Festa (Estreia Brasil: 4 de janeiro): O ano já abre com um filmaço da Disney-Pixar que os críticos lá fora já aprovaram, uma vez que o longa estreou em novembro nos Estados Unidos. Conta a história do garoto Miguel, que alimenta o sonho de ser músico e precisa ir contra sua família para realizá-lo.

Expectativa: 

Aguardada continuação

Maze Runner: Cura Mortal (Estreia Brasil: 25 de janeiro): O terceiro filme da série literária demorou para sair por conta de um acidente com o ator Dylan O’Brien, que interpreta o protagonista Thomas. Para não substituir o ator, o estúdio optou por atrasar as filmagens para esperar a recuperação do rapaz. Só por essa iniciativa, que demonstrou imenso respeito pelo trabalho do ator  e com o público, o filme já merece ser visto. A franquia tem demonstrado ser muito boa, então, a espera só aumentou a expectativa.

Expectativa: 

Aventura africana

Pantera Negra (Estreia Brasil: 15 de fevereiro): Depois da vergonha alheia de Thor: Ragnarok fica difícil saber o que esperar desse filme, com um personagem obscuro e de pouca relevância no Universo Marvel. Aparentemente, parece que será uma boa produção, mas nada capaz de abalar os alicerces do cinema. Talvez apenas uma história de ligação que prepara o terreno para o longa dos Vingadores, mas lembrando que Guardiões da Galáxia e Homem-Formiga também era irrelevantes e se mostraram ótimas produções, tudo pode acontecer. Uma certeza: será um filme ok. O que vier além disso, é lucro.

Expectativa: 

Será que o filme terá força nas bilheterias?

Sansão (Estreia EUA: 16 de Fevereiro): Um filme sobre o herói bíblico Sansão é sempre um tema interessante, mas dependendo do teor que será dado, pode ser um furo n’água. Considerando as atuais produções bíblicas – o péssimo Noé e o morno Êxodo: Deuses e Reis, ambos de 2014 – melhor não esperar muita coisa. Destaque para a participação de Billy Zane como o Rei Balek e a eterna Mulher Biônica, Lindsay Wagner, no papel de Zealphonis (quem quer que seja ela).

Expectativa: 

Lara: armada e perigosa

Tomb Raider: A Origem (Estreia Brasil: 15 de março): Não sou fã de videogames. Até gosto da personagem – uma espécie de Indiana Jones do sexo feminino – e já joguei um pouco de Tomb Raider, bem como vi o primeiro filme da franquia estrelada pela Angelina Jolie, mas não é algo que me desperte grande interesse. Claro, estou falando de modo pessoal. O fato de termos uma nova franquia com Lara Croft (agora personificada por Alicia Vikander) não deixa de ser interessante. Tomara que seja legal. O pouco que vi pelos trailers não interessou, mas também não decepcionou.

Expectativa: 

Robôs gigantes são legais demais!!

Círculo de Fogo: A Revolta (Estreia Brasil: 22 de março): Vou fazer um mea culpa: não vi ainda o primeiro longa-metragem desta franquia que, dizem todos aqueles que conheço e que viram, ser um filme extraordinário. Portanto, o que se espera é que, no mínimo, o filme mantenha a qualidade. Acredito que sim. E ainda tem John Boyega (o Finn da nova franquia Star Wars) como protagonista. Pronto, já me ganhou.

Expectativa: 

É a Oprah, gente! Nós precisamos ver isso!!

Uma Dobra no Tempo (Estreia Brasil: 29 de março): A princípio, parece ser apenas mais um filme genérico de fantasia. Mas vamos lá: é da Disney, o que já garante uma qualidade extra. Em segundo lugar, tem Oprah Winfrey interpretando uma bruxa do tempo (ou fada, maga, o que quer que seja!). Precisa mais algum motivo pra imaginar que, se isso não for épico, no mínimo será divertido?

Expectativa: 

Realidade, fantasia e ficção se misturam.

Jogador Nº. 1 (Estreia Brasil: 5 de abril): O cinema sempre bebeu da fonte literária para fazer grandes filmes e isso não é nenhuma novidade. Nos últimos tempos, está havendo uma grande leva de obras sendo adaptadas (Harry Potter, Percy Jackson, Maze Runner, Crepúsculo, Jogos Vorazes etc.) e este não é diferente. Baseado no best seller de Ernest Cline, mistura atores reais e animação em computação gráfica para mostrar um futuro apocalíptico onde a fuga é para dentro de um jogo no qual o usuário pode ser o que desejar. Inclusive, encontrar uma fortuna escondida, do criador do jogo. A direção é de Steven Spielberg.

Expectativa: 

Será que terror funciona em filmes de super-heróis?

Novos Mutantes (Estreia EUA: 13 de abril ): A ideia de fazer um filme dos Novos Mutantes já vem sendo alimentada há algum tempo – mais precisamente, desde o final da primeira trilogia dos X-Men. Considerando que os personagens tiveram um relativo sucesso nos quadrinhos, parecia ser uma boa mostrar uma equipe mais jovem de heróis aprendizes. Parecia, porque a premissa de transformar o filme em um conto de terror tem demonstrado que o filme não será tão bom quanto aparenta. Pelo que foi mostrado, não agradou. Porém, X-Men: Primeira Classe também não agradou pelos trailers e é um dos melhores filmes dos X-Men já feitos. A esperança mutante é a última que morre. ATUALIZANDO: A Fox anunciou dia 11 de janeiro que o longa foi adiado para 22 de fevereiro de 2019 divido à grande quantidade de filmes com potencial comercial este ano. Veja notícia aqui.

Expectativa: 

Olha. Essa. Imagem! :-O

Vingadores: Guerra Infinita (Estreia Brasil: 26 de abril): Todos os personagens da Marvel Studios reunidos contra Thanos. É o filme mais aguardado do ano e o sonho que todo fã de quadrinhos aguardou durante a vida sendo realizado. Só esperemos que, por conta da expectativa alta, não decepcione.

Expectativa: 

Elenco reunido numa galáxia muito, muito distante…

Han Solo: Uma História Star Wars (Estreia Brasil: 24 de abril): a premissa de termos um filme de Star Wars por ano é bem bacana, principalmente para quem é fã da franquia. Já tivemos o sensacional Rogue One e agora vem um novo prequel que mostrará como surgiu a amizade entre Solo e Chewbacca e seu primeiro encontro com Lando Calrissian. Não sei o que esperar deste filme, mas a boa produção de Rogue One deixa uma expectativa alta para a novidade. O que seria bem legal é se tivesse uma aparição de Harrison Ford no final, já adulto. Aí seria um delírio cinematográfico…

Expectativa: 

Nem Michelângelo escapa da zoação.

Sequência sem Título do Deadpool ou Deadpool 2 (Estreia EUA: 18 de maio): O segundo longa do Deadpool vem sendo apresentado como Sequência sem Título do Deadpool e, ao que tudo indica, não é apenas um nome provisório aguardando o título oficial. Aparentemente este será o nome do filme, como parte da zoeira. Deadpool foi um filme bastante fiel à mitologia e à essência do personagem. Para quem gosta, é bastante esperado. Para mim, que nunca gostei curti o personagem, eu passo e nem verei no cinema esta continuação (exceto se for obrigado, por questões profissionais).

Expectativa: 

Olha a alegria do Zezé ao saber que teria Incríveis 2 no cinema.

Os Incríveis 2 (Estreia Brasil: 15 de junho): Muito melhor que Deadpool é o filme da família heroica da Pixar. A volta do Sr. Incrível, Mulher-Elástica, Flecha, Violeta e Zezé é aguardada há muito tempo. O novo longa gira em torno da descoberta dos poderes do bebê Zezé e promete muita confusão e gargalhadas. Além, claro, de muita aventura.

Expectativa: 

Ah, qualé… Sou o Senhor das Estrelas, cara! Não, pera… filme errado!

Jurassic World: Reino Ameaçado (Estreia EUA: 22 de junho): Depois de quatro filmes baseados na franquia de dinossauros, não tem mais muita novidade para contar, tampouco a revolução cinematográfica que Spielberg proporcionou quando criou a franquia. Nesta nova história, os protagonistas tentam evitar a extinção dos dinossauros (de novo!) por causa de um vulcão extinto na ilha, que ameaça voltar à ativa. O longa anterior não foi nada fora do comum, mas teve uma trama bem interessante. Acredito que o novo filme também será ok, mas nada além disso.

Expectativa: 

Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali… ao contrário.

Turma da Mônica: Laços (Estreia Brasil: 28 de junho): Primeiro longa-metragem da Turma da Mônica em live action, baseado na história de Vitor e Lu Cafaggi publicada na graphic novel de mesmo nome. Precisa dizer mais? Precisa: é produção obrigatória, simplesmente.

Expectativa: 

Heróis-miniatura

Homem-Formiga e Vespa (Estreia Brasil: 5 de julho): Depois da Guerra Infinita, o segundo longa do Homem-Formiga vai dar continuidade à fase 3 da Marvel e apresentar a Vespa ao público. Deve ser legal, mas é difícil imaginar algo mais empolgante do que a reunião dos heróis na aventura cósmica contra Thanos. Terá que ter um roteiro muito bom para manter o clima de surpresa, caso contrário será apenas mais uma comédia ok da Marvel Studios (o que não é pouco, claro!).

Expectativa: 

Finalmente, vamos poder ver o bigode do Superman em toda sua glória!

Missão: Impossível 6 (Estreia EUA: 27 de julho): A franquia é legal e um bom filme é sempre bem-vindo. Por enquanto, nem sinopse divulgada tem – ou seja, não sabemos nada do filme, exceto que Tom Cruise repetirá seu papel como Ethan Hunt. Henry Cavill também estará no filme, com seu bigode sem CGI. O filme nem precisa ser tão bom. Só por lembrar disso na sala de projeção, já valerá o ingresso.

Expectativa: 

Titãs vão cinema ver um filme dos Titãs. E vice versa.

Os Jovens Titãs vão ao cinema (Estreia EUA: 27 de julho): A série animada ganha um longa-metragem para os cinemas. Promete muita diversão e aventura, nos moldes daquilo que já estamos acostumados a ver na TV.

Expectativa: 

“Você nunca vai vê-lo chegando”.

O Predador (Estreia Brasil: 2 de agosto): Reboot da franquia clássica. Um recomeço pode ser interessante, mas há um histórico de que vieram dois fiascos anteriores com Alien Vs. Predador I e II, o que sempre nos coloca com um pé atrás.

Expectativa: 

Sou o contrário dos políticos brasileiros.

Robin Hood (Estreia EUA: 21 de setembro): Filme que conta as aventuras do herói que rouba dos ricos para dar aos pobres. É tudo que precisamos saber deste enésima versão do personagem.

Expectativa: 

Alguém precisa de um filme do Venom?

Venom (Estreia EUA: 5 de outubro): Nos quadrinhos, Venom é um personagem que ganhou grande popularidade, por mais inexpressivo que ele seja. No cinema, não funcionou nas mãos de Sam Raimi, que inseriu o vilão contra a vontade no malfadado Homem-Aranha 3 (2007). Por mais que o personagem tenha a preferência dos fãs (não a minha, só para pontuar!), acho difícil que ele segure um longa-metragem solo. De qualquer forma, Tom Hardy (o Bane, de O Cavaleiro das Trevas Ressurge, 2012) tem se dedicado ao personagem. Vamos dar um voto de confiança ao ator e ao diretor Ruben Fleischer , responsável por Zumbilândia (2009) e a série Santa Clarita Diet.

Expectativa: 

Michael Myers está de volta 40 anos depois.

Halloween (Estreia EUA: 19 de outubro): O assassino imortal Michael Myers está de volta, no ano em que se comemora 40 anos de sua estreia no cinema, no clássico longa de John Carpenter. O interessante é que o personagem volta às origens, depois de duas tentativas não muito bem sucedidas de um reboot em 2007, dirigido por Rob Zombie, e, a exemplo de Halloween H20 (1998), reencontra a personagem de Jamie Lee Curtis após 40 anos… Já estou até ouvindo a trilha sonora no piano…

Expectativa: 

O multitarefas Andy Serkis dirige, atua e ainda guarda o Precioso.

Mogli (Estreia EUA: 19 de outubro): Pense num filme no qual o Batman e o Smeagol têm que salvar a vida de um garoto das investidas de Hela, a Deusa da Morte e enfrentar o Dr. Estranho, que quer dominar a região. É mais ou menos isso que acontece nessa enésima versão da história do menino das selvas, estrelada por Christian Bale (Baguera), Andy Serkis (Balu), Cate Blanchett (Kaa) e Benedict Cumberbatch (Shere Khan). Esta versão será produzida pela Warner Bros., não pela Disney, num longa dirigido pelo próprio Serkis.

Expectativa: 

Um clássico dos X-Men

X-Men: Fênix Negra (Estreia EUA: 2 de novembro): Pensando na saga dos quadrinhos, a trama tem tudo para ser excelente. No entanto, a atriz Sophie Turner teve uma participação tão pífia em X-Men: Apocalipse (2016) que deixa a impressão que não tem potencial para ser protagonista neste. Vai depender muito da forma como o diretor conduzirá a história para dizer se será um bom filme ou um fiasco. Mas as imagens mostradas são bem feitas. Só por elas, parece que será uma boa produção.

Expectativa: 

Pode chorar. Depp é o vilão.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (Estreia Brasil: 15 de novembro): O longa anterior dividiu os fãs de Harry Potter. Alguns amaram a nova abordagem dada ao universo criado por J. K. Rowling, enquanto outros detestaram. De qualquer forma, a produção foi competente o suficiente para ganhar a continuação. Desta vez, o foco será no personagem de Johnny Depp, que apareceu de surpresa no longa anterior – e já está sendo motivo de polêmica na Internet, por fãs raivosos, que não querem que Depp seja o personagem. Mimimimimimimi…

Expectativa: 

Aquaman está chegando com cara de mau

Aquaman (Estreia Brasil: 20 de dezembro): Jason Momoa prometia ser uma surpresa em Liga da Justiça, quando estreou no papel do Rei dos Mares. Não foi. Teve uma participação apagada e não mostrou a que veio, diferente da Mulher-Maravilha de Gal Gadot, que teve uma participação brilhante em Batman v Superman (se é que se pode dizer que aquele filme teve algo brilhante… ok, teve, sim: Gadot.) e abriu caminho para seu próprio filme solo. A expectativa é que Momoa ganhe um longa à altura do personagem e mantenha a qualidade dos filmes da DC, que deu uma leve subida neste ano que passou. Aquaman não é um personagem de grande popularidade, mas ainda esperamos aquela “surpresa” que ele tinha que mostrar em Liga da Justiça.

Expectativa: 

A guerra Marvel/DC está declarada!

Homem-Aranha no Aranhaverso (Estreia Brasil: 20 de dezembro): Um longa-metragem do Homem-Aranha em desenho animado para os cinemas não deixa de ser uma novidade. Estrelado pelo Homem-Aranha Ultimate é uma novidade extra. O trailer mostrou umas imagens bem bacanas. Acredito que será uma diversão. E vai concorrer com Aquaman. Ou seja: o popular mais popular da Marvel – embora não seja exatamente o Homem-Aranha “top de linha” – contra o impopular e rebaixado Aquaman, da DC. A guerra promete esquentar nas telas e nós queremos ver isso no camarote.

Expectativa: 

Leituras da Semana – Dezembro (5)

Adeus, ano velho! Feliz ano novo! Estamos encerrando o ano de 2017 exatamente no domingo para já começarmos um novo ano, um novo mês e uma nova semana com muitas expectativas de coisas boas para acontecer. Estas são as últimas leituras do ano e, para 2018, estamos estudando um novo esquema para nossas resenhas. Talvez fazer um texto só, destacando a melhor da semana e as outras apenas dando uma geral ou fazer um ranking, com notas ou ainda abolir de vez essa seção e postar com mais frequência a seção Saído do Forno, resenhando uma única HQ por vez. O que acham? Deixem suas sugestões nos comentários.

Conclusão espetacular

Future Quest Vol. 2 (dez/2017) – O conclusão do arco que reúne os super-heróis do Universo Hanna-Barbera atinge seu clímax, com todos unindo forças para derrotar o alienígena Omnikron. A ação não para e explora bem as características de cada personagem. A única exceção é o Galaxy Trio, que ficou totalmente esquecido. A história termina deixando aquele gosto de quero mais, um desejo que a DC Comics transforme esse título em uma publicação mensal. Infelizmente, a série terminou, mas a boa notícia é que, este ano, a editora lançou o título Future Quest Presents, com histórias-solo dos heróis. A editora também lançou o especial Adam Strange/Future Quest, que mostra um crossover da família de Jonny Quest e o Homem-Pássaro com o herói da DC. De bônus, um encontro entre Batman, Mulher-Gato e Manda-Chuva. Tomara que a Panini também traga esse material para o Brasil.

Superbobagem

Superman 9 (dez/2017) – A conclusão do arco Multiplicidade é a coisa mais inútil já lida nos últimos tempos. As lutas são bacanas, mas as soluções ficam mal explicadas, o vilão é derrotado de forma ridícula e a história termina no ar. A ideia de juntar vários Supermen de realidades diferentes é até bacana, mas muito mal desenvolvida pelo roteirista Peter J. Tomasi. Felizmente, foi bem curta (só três capítulos).

Intrigante

Action Comics 9 (dez/2017) – O que a revista do Superman teve de ruim, esta Action Comics tem de boa. O mistério sobre o Clark Kent humano cresce cada vez mais e Lois Lane se dispõe a descobrir o que se esconde por trás dele. Ao mesmo tempo, o Superman e Aço lutam para salvar a vida da Superwoman, enquanto a localização da Fortaleza da Solidão é descoberta, com consequências catastróficas.

Em busca da verdade (ainda!)

Mulher-Maravilha 9 (dez/2017) – Passado e presente continuam se misturando na revista da Princesa Amazona. A primeira história se passa no passado e mostra os irmãos Fobos e Deimos tramando contra a vida de Diana. No presente, a Mulher-Maravilha continua confinada num sanatório, em busca da verdade sobre si mesma. Histórias mornas, sem nada fora do comum.

A nata dos mutantes está aqui.

Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel – Clássicos XXXIV – X-Men – Segunda Gênese (nov/2017) – A reformulação dos X-Men em 1975 foi um divisor de águas para a carreira dos mutantes, que vinham sofrendo baixas vendas e o título estava à beira do cancelamento, só com republicações de histórias antigas. A nova equipe veio de encontro à premissa da equipe, que era a diversidade, e acrescentou heróis de vários países e etnias. Deu tão certo que o título se tornou, em pouco tempo, um dos mais vendidos da editora. Toda essa fase inicial está reunida nesse sensacional encadernado, com histórias já republicadas várias vezes (como a origem da equipe, a morte do Pássaro Trovejante e o nascimento da Fênix) e outras praticamente inéditas (como a batalha dos X-Men contra Black Tom Cassidy no castelo da Irlanda e a luta de Ciclope contra seu irmão Destrutor). São histórias que definiram os heróis e seus poderes – pela primeira vez Wolverine foi mostrado sem máscara e revelado que suas garras eram parte de seu corpo, a origem de Ororo, Noturno invisível nas sombras e muito mais. Uma edição imperdível para quem curte os heróis mutantes.