Crítica (em vídeo): X-Men – Apocalipse

blog abreCom estreia marcada para o dia 19 de maio de 2016, chega aos cinemas o longa-metragem X-Men – Apocalipse, mais uma produção da 20th Century Fox envolvendo o universo mutante da Marvel. A convite da Fox, assistimos o filme  em cabine de imprensa e trazemos nossas impressões. AVISO: a crítica contém spoilers leves (comentários sobre cenas, mas sem estragar as surpresas).

Cotação: blog cotaçãoxmenapocalipse

Saído do Forno: Cavaleiro das Trevas III – A Raça Superior

blog abreQuando foi anunciado, no segundo semestre de 2015, a minissérie Cavaleiro das Trevas III gerou um burburinho enorme nas redes sociais, questionando tanto a necessidade de uma nova investida na série – principalmente considerando o fracasso da continuação, lançada no início dos anos 2000 – como a capacidade de Frank Miller em escrever a história, visto que as últimas fotos do autor mostraram uma pessoa bastante debilitada e envelhecida – muito embora nem ele nem seus assessores confirmem qualquer doença.

A arte de Miller é alvo de muitas críticas

A arte de Miller é alvo de muitas críticas

A própria arte de Miller, que já foi considerada exemplar e até mesmo utilizada em cursos de desenho para ensinar noções de luz, sombra e ângulos diversos, hoje é vista com ressalvas por conta dos traços rústicos e anatomia exagerada. Talvez por conta disso – e para acalmar o “incêndio” dos fãs na Internet -, foi anunciado que a terceira parte da obra máxima de Miller seria escrita a quatro mãos. Para ajudar nos roteiros, entra o Brian Azarello, conhecido por sua obra 100 Balas e pelo atual trabalho na série da Mulher-Maravilha. Já para os desenhos, Miller contaria com a ajuda de Andy Kubert, famoso por seu trabalho na minissérie Origem, estrelada por Wolverine.

Capas variantes tem edições exclusivas para comic shops

Capas variantes tem edições exclusivas para comic shops

Esta série acaba de chegar ao Brasil, pela Panini. Para comemorar o lançamento, a editora lança a revista com quatro capas variantes, duas para bancas e duas exclusivas para comic shops. Além disso, a revista tem um acabamento de luxo, com papel de qualidade (couché) e capa cartonada. A revista tem 36 páginas em formato americano e vem acompanhada de uma minirrevista em formatinho (14cm X 21,5cm) com 16 páginas e uma HQ solo do herói Átomo, com uma trama paralela que mostra seu envolvimento na história.

Ideia bacana: minirrevista para o mini-herói

Ideia bacana: minirrevista para o mini-herói

A história bebe na fonte da HQ clássica e mostra o retorno do Batman depois de um período afastado e a repercussão que isso causa na mídia (com as telas de TV noticiando o fato) e entre a população, com bate-papo pelo celular, trazendo um ar de modernidade. Mas não se trata da mesma história, é bom deixar claro. Em 36 páginas, o leitor é reapresentado a velhos conhecidos e seus respectivos destinos desde o capítulo anterior, além de acompanhar a nova comissária de polícia na busca pelo Cavaleiro das Trevas.

Bom ritmo de narrativa prende a atenção do leitor

Bom ritmo de narrativa prende a atenção do leitor

Já na HQ do Átomo, Ray Palmer é procurado pela Supergirl para ajudá-la com uma tarefa que só seus conhecimentos em miniaturização podem resolver. As histórias têm o “estilo Miller” de narrativa, bastante lento e detalhista, mas  com bom ritmo, cenas intrigantes, que prendem a atenção e um final surpreendente que deixa o gancho para o próximo capítulo. É inquestionável a desnecessidade de um novo capítulo na série e que o lançamento é muito mais uma tentativa de capitalizar em cima de um grande clássico do que contar uma nova história que seja relevante, como o foi a edição original. No entanto, a tentativa é válida e desde que seja uma boa trama, os leitores só têm a ganhar. Pelo que foi mostrado no primeiro capítulo, parece que ganhamos.

Saído do Forno: Papa-Capim – Noite Branca

blog abreA 11a. edição do selo Graphic MSP chega às bancas, comic shops e livrarias com uma temática de terror. Em Papa-Capim – Noite Branca, a roteirista Marcela Godoy e o desenhista Renato Guedes revisitam o índio curumim criado por Mauricio de Sousa e o transformam num bravo guerreiro que deve enfrentar forças sobrenaturais que aterrorizam a tribo onde vive.

"A primeira graphic novel de terror" - Parece, mas nem tanto.

“A primeira graphic novel de terror” – Parece, mas nem tanto.

Apesar de se apresentar como uma história de terror, o álbum não é bem assim. A história possui seus elementos sobrenaturais e traz uma leitura mais sombria do personagem, mas não chega a aterrorizar – e nem pode, afinal, muito embora o selo tenha uma pegada mais adulta, os títulos Graphic MSP não excluem nenhuma faixa etária, o que inclui o público infantil, principal comprador das HQs de Mauricio de Sousa.

Espíritos maléficos assombram a tribo. Adivinhem quem vai lutar contra eles?

Espíritos maléficos assombram a tribo. Adivinhem quem vai lutar contra eles?

A trama mostra o indiozinho um pouco mais crescido, com seu inseparável companheiro Cafuné, sendo assombrados por espíritos vampiros conhecidos como Noite Branca, que foram trazidos com os colonizadores e que, de tempos em tempos, passam a dominar os guerreiros indígenas e se alimentar de seus espíritos para saciar sua sede de morte. Cabe a Papa-Capim, o mais jovem guerreiro da tribo, descobrir como derrotar a ameaça.

A arte "conversa" com o texto e é isso que faz uma HQ ser boa.

A arte “conversa” com o texto e é isso que faz uma HQ ser boa.

A arte de Renato Guedes – conhecido por seu trabalho em quadrinhos da Marvel e DC, como Wolverine, Vingadores Secretos, Superman, Smallville e outros – dá o clima sombrio exigido pelo roteiro e a opção por tonalidades escuras na colorização também ajuda a inserir o leitor naquela situação de tensão e suspense. Os extras do álbum complementam a trama, trazendo informações de que a lenda da Noite Branca foi inspirada num mito real do folclore brasileiro chamado Tatus Brancos, contado na época dos bandeirantes.

Texto de Gonçalves Dias. Dá até pra usar a HQ em sala de aula, professores!

Texto de Gonçalves Dias. Dá até pra usar a HQ em sala de aula, professores!

Isso mostra que a autora não se limitou apenas em escrever uma história, mas fez um bom trabalho de pesquisa antes, para trazer algo bem mais rico aos leitores. A pesquisa também fica evidente na citação literária de Gonçalves Dias, extraída de seu poema indianista I-Juca Pirama, publicado em 1851, e em alguns diálogos em tupi-guarani que, infelizmente, perdem a riqueza por falta de uma nota de rodapé com a tradução dos mesmos. Nada que comprometa a narrativa, mas poderia ser muito mais prazerosa se houvesse esse “agrado” ao leitor.

Papa-Capim em harmonia com a Mãe-Natureza.

Papa-Capim em harmonia com a Mãe-Natureza.

Independentemente disto, Papa-Capim – Noite Branca talvez seja o álbum mais diferente do que tem sido apresentado até agora, nas dez edições anteriores, a ponto de causar uma estranheza à primeira vista. Mas cumpre bem o seu papel de pegar um personagem clássico e apresentá-lo de uma forma diferente e totalmente autoral aos leitores. Não é o melhor álbum do selo, nem tampouco é uma leitura aterrorizante como se propõe, mas é intrigante e envolvente e é isso que basta.

Crítica (em vídeo): Capitão América – Guerra Civil

blog abreNovidade no nosso blox! Comemorando nosso sexto aniversário, estamos estreando nossa crítica em vídeo! Para começar, nada melhor do que um dos filmes mais esperados do ano: Capitão América: Guerra Civil, que inaugura a Fase 3 da Marvel dividindo a comunidade de super-heróis. O filme estreia em todo País no dia 28 de abril.

Cotação: blog cotaçãoguerracivil

Seis anos

blog abreSabe quando você arruma a maior briga em casa porque não deixou passar a data do aniversário de namoro, não por maldade, mas porque se envolveu com tantas preocupações cotidianas que nem lembrou do dia? Pois é… comigo foi assim… Tão envolvido estava com textos e tentando guardar na memória datas de consultas médicas, estreias de cinema e prazos de entrega que deletei completamente um dia que não deveria deixar passar: o aniversário do nosso blog.

Aqui tem as notícias mais  sinistras sobre quadrinhos

Aqui tem as notícias mais sinistras sobre quadrinhos

Na verdade, não passou. É hoje! Ainda deu tempo de fazer um post homenagem pelos seis anos de nosso blox, que iniciou suas atividades em 25 de abril de 2010 (embora tenha sido criado oficialmente em 19 de novembro de 2009). Mas não deu tempo de preparar nada especial, um post legal ou uma surpresa bacana. Vamos pensar nisso para os próximos dias.

Temos informações sobre cinema para todos os sentidos

Temos informações sobre cinema para todos os sentidos

Nesta postagem só queremos dizer nosso muito obrigado por fazer o nosso sucesso. A sua visita, o seu comentário, as suas estrelinhas e classificação nas  postagens, o seu compartilhamento, as buscas… tudo isso é tão gostoso de acompanhar e alcançou um tamanho que a gente nunca esperava atingir quando criou o blog. É por isso que fazer cada post é um prazer e não um trabalho. Gostaria de ter mais tempo para fazer postagens diárias, mas infelizmente, ainda não dá. No entanto, cada post (e já são 624!) é feito com muito carinho e o máximo de profissionalismo que a gente pode ter. Sem linguagem chula, sobre quadrinhos, cinema, séries de TV e tudo sobre cultura pop, sempre respeitando você, nosso leitor!

Estamos correndo para preparar as melhores postagens sobre séries de TV

Estamos correndo para preparar as melhores postagens sobre séries de TV

Obrigado por estes seis anos. Espero continuar por mais seis – no mínimo. E espero ter você aqui pra comemorar com a gente. Na data certa e com surpresas preparadas com antecedência. Todo nosso carinho pra vocês!

post-55878-Big-Hero-6-Baymax-petting-cat-cPGF

Crítica (sem spoilers): O Escaravelho do Diabo

blog abrePode parecer estranho uma crítica “sem spoilers” de uma história policial cujo assassino misterioso já teve seu nome revelado há mais de 30 anos. Mas continue lendo… a gente chega lá…:-)

Primeiro livro da Série Vaga-Lume a virar filme.

Primeiro livro da Série Vaga-Lume a virar filme.

Depois de muitos anos de espera – salvo engano, o primeiro anúncio foi feito em 2012, com previsão de estreia para o ano seguinte – chega aos cinemas o filme O Escaravelho do Diabo, adaptação do livro homônimo escrito por Lúcia Machado de Almeida e que se tornou um clássico juvenil na década de 1980, como parte da consagrada Série Vaga-Lume, da Editora Ática.

Aviso fatal: vítimas recebem um escaravelho pelo correio

Aviso fatal: vítimas recebem um escaravelho pelo correio

A história policial trazia uma série de assassinatos envolvendo pessoas ruivas que recebiam um pequeno escaravelho (uma espécie de besouro) antes de morrer, cujo nome científico do animal indicava que tipo de morte elas teriam. O caso foi solucionado pelo jovem estudante de medicina Alberto, cujo irmão, Hugo, foi a primeira vítima. O filme traz a mesma premissa, mas faz uma série de mudanças pontuais, que tornam a história totalmente nova para quem leu o livro, incluindo o assassino e suas motivações.

Alberto rejuvenesceu alguns anos em relação à sua versão literária.

Alberto rejuvenesceu alguns anos em relação à sua versão literária.

Pra começar, Alberto não é um jovem rapaz, mas sim um adolescente de 13 anos (Thiago Rossetti), que tem no irmão mais velho Hugo (Cirilo Luna) um ídolo – apesar das constantes briguinhas comuns entre irmãos. Hugo é fascinado por motociclismo, o que também desperta o interesse de Alberto, que vive sonhando com o dia em que vai dirigir a moto do irmão. Quando Hugo é assassinado, o garoto desenvolve uma obsessão por descobrir o culpado e passa a participar das investigações junto com o Delegado Pimentel (Marcos Caruso).

Minha Santa Teresinha, dai-me paciência contra quem me apelidou de Dory.

Minha Santa Teresinha, dai-me paciência contra quem me apelidou de Dory.

Uma outra mudança em relação ao livro  é que o Delegado sofre de um tipo de síndrome que o faz ter lapsos de memória, o que faz com que não tenha a visão técnica necessária para desvendar os crimes. É aí que entra Alberto, que logo percebe que os crimes na cidade de Vale das Flores estão relacionados com a cor dos cabelos das vítimas. A família irlandesa do livro foi omitida da história, que ganhou novos personagens, como Daniel (Felipe de Carolis), o jornalista Louzeiro (Bruce Gomlevsky) e Delegada Dora (Ana Cecília Costa), que chega para substituir Pimentel, devido a seus problemas de memória. O elenco conta também com Jonas Bloch no papel do Padre Paulo Afonso e Bruna Cavalieri como Rachel, colega de escola de Alberto, por quem o garoto é apaixonado.

Mais realismo: nada de fantasias de besouro.

Mais realismo: nada de fantasias de besouro.

O filme tem um clima de mistério bem adequado ao roteiro do livro e resgata o passado do assassino em cenas em flashback, mostradas ao longo da trama, o que ajuda o espectador a compreender melhor suas motivações. Além disso, o assassino não aparece vestindo nenhuma fantasia de escaravelho, como no livro, mas tem uma cicatriz em formato do inseto nas costas, tornando a história menos fantasiosa e mais pé no chão. Ponto para o diretor Carlo Milani, cujo filme marca sua estreia no cinema.

AHHH!! Tem um bicho nas minhas costas!!

AHHH!! Tem um bicho nas minhas costas!!

Porém, o filme não é perfeito e tem seus problemas: o fato de utilizarem um protagonista adolescente torna a investigação um tanto quando inverossímil, já que nenhum profissional de justiça permitiria que uma criança interferisse em seus trabalhos – nem um adulto, na verdade, mas pelo menos, seria mais fácil de engolir. A presença do assassino ao longo da história também sofreu uma modificação que não vamos revelar para não estragar a surpresa, mas quebra a familiaridade que havia com o mesmo na obra literária. Contudo, não são problemas que prejudiquem o desenrolar da trama que, de um modo geral, é intrigante e fiel ao original.

Padre Paulo Afonso tem a chave para a solução do mistério.

Padre Paulo Afonso tem a chave para a solução do mistério.

O Escaravelho do Diabo é o primeiro livro da Série Vaga-Lume a ser adaptado para o cinema. O filme continua com o teor didático do livro, pois permite a discussão em sala de aula sobre uma série de temas como o bullying e suas consequências, doenças degenerativas e traição no namoro . Espera-se que, com a boa adaptação, outros livros da coleção ganhem as telas futuramente. Seria muito bom ver O Mistério dos Cinco Estrelas, outro clássico, escrito por Marcos Rey – que foi cogitado ganhar uma adaptação há mais de 20 anos e que até agora não saiu do papel – sendo levado ao cinema. Como o cinema nacional tem ganhado cada vez mais espaço e apoio, apesar de ainda sofrer com a falta de recursos, é um sonho que pode não estar tão distante. Vamos torcer.

Parece propaganda de shampoo, mas é apenas Rachel, a paixão de Alberto.

Parece propaganda de shampoo, mas é apenas Rachel, a paixão de Alberto.

Abaixo você confere, além do trailer do filme, também o clipe da música Brisa Fria, composta por Black Alien, Paulo Miklos, Don L e Pepe Cisneros – Cuba 07, em parceria com o produtor musical BiD. No canal do filme no You Tube, você também pode ver outra música do longa além de entrevistas e trailers.

Cotação: blog cotaçãoescaravelho

blog abreOs fãs de Cavaleiros do Zodíaco podem comemorar. A PlayArte anunciou hoje o lançamento dos cinco longas-metragens da série em DVD num único box em embalagem digipack. O produto chega às lojas em junho e reúne os seguintes longas animados: Saint Seiya: O Santo Guerreiro (1987), A Grande Batalha dos Deuses (1988), A Lenda dos Defensores de Atena: O Filme (1988), Os Guerreiros do Armagedon: A Batalha Final (1989) e Prólogo do Céu – O Filme (2004). No total, serão cerca de 290 minutos de animação. 

Embalagem caprichada com os cinco filmes do cinema

Embalagem caprichada com os cinco filmes do cinema

Além dos cinco discos, a embalagem traz também cinco cards com imagens exclusivas e inéditas. Cada filme estará disponível no áudio original em japonês com legendas em português e também a versão dublada em português. O anime Cavaleiros do Zodíaco foi uma verdadeira febre na TV nos anos 1990, exibido pela extinta TV Manchete. O programa provocou um boom de produções japonesas no Brasil entre desenhos animados, séries live-action (com atores) e mangás (quadrinhos), que permanece até os dias de hoje. A série ajudou a consagrar os termos anime, tokusatsu, super-sentai e outros entre as crianças da época.

Tem cards também!

Tem cards também!