Dica Literária: Monstros Entre Nós

Em sua segunda antologia como organizador, Davi Paiva reúne 14 contos que descrevem a relação entre humanos e criaturas fantásticas. Com 100 páginas, o livro Monstros entre Nós – Contos sobre a Relação entre Humanoides e Monstros foi lançado pela Editora Darda no início deste ano e apresenta desde demônios ameaçadores, passando por alienígenas, criaturas lendárias e algumas até bem conhecidas.

Segunda antologia organizada por Davi Paiva

O próprio conto de Paiva, “A Busca”, leva o leitor de volta ao Reino de Raysh, citado na obra Cavaleiro Negro (leia nossa crítica aqui), muito embora o conto seja independente e não exija a leitura da obra anterior. Outros contos trazem os monstros para paisagens mais familiares, como a Avenida Tiradentes (“Perseguição”, de JP Tarcio Jr. ) e o bairro da Vila Guilherme (“O Carrasco das Bestas Elementais”, de Lucas Palhão), ambas em São Paulo.

Tenha muito medo! Não, espera…

Nem todos os monstros são vilões. Alguns são bem amigáveis, a despeito de suas aparências bestiais. É o caso de “Melhor Amigo”, de Wagner Weite Thomé ou “Herzog, o meio-orc, contra Zagull, de mil olhos”, de Rodrigo F. L. Gomes, que trazem monstros amigáveis ou nada ameaçadores. No mesmo raciocínio, o autor J. B. Alves destaca, em “O pior dos demônios”, que o verdadeiro monstro pode ter uma aparência mais familiar.

Mitologia e cotidiano se misturam em 14 contos fantásticos

A maioria dos autores também fez parte da antologia Poderes (leia nossa crítica aqui), a primeira obra organizada por Paiva. Com textos ágeis e envolventes, os textos fazem uso do realismo fantástico para destacar dois lados de uma mesma moeda: o heroísmo e a capacidade de superação do ser humano, além de sua tendência em temer aquilo que não entende. O título do livro deixa bem claro que os monstros estão entre nós desde os tempos mais remotos. Cabe ao leitor identificá-los.  Monstros entre Nós pode ser encontrado no site da Editora Darda.

Dica Literária: Cavaleiro Negro

No início deste ano, foi lançado pela Darda Editora o livro Cavaleiro Negro, primeiro livro solo do autor Davi Paiva. O escritor já participa há vários anos de antologias, juntamente com outros autores e até já chegou a ser organizador de duas delas para a mesma editora – Poderes (cuja crítica fizemos aqui) e o recém-lançado Monstros Entre Nós (aguarde crítica para breve) – mas é a primeira vez que Paiva tem um livro inteiro só seu.

A trajetória de um garoto se transformando num homem sedento de vingança.

A trama conta a história do jovem Fidler Koogan, desde sua infância trágica até ele se tornar o rei da província de Ryddle, do fictício mundo de Raysh (uma analogia à palavra alemã reich – império, nação). O livro se divide em sete arcos – Infância, Esgrima, Veneno, Magia, Convocação, Guerra e Rei -, cada um deles contando uma fase da transformação do ambicioso Fidler num hábil lutador de um estilo proibido de luta, mostrando sua determinação em atingir seus objetivos e arquitetar uma vingança contra aqueles que lhe fizeram sofrer.

Uma jornada inesperada pelo reino de Raysh.

É clara na história a influência de obras como Game of Thrones, O Senhor dos Anéis, Star Wars, Eragon e outros épicos da fantasia, além de games como Ragnarök e Magic – The Gathering, mas o autor constrói sua história com muito cuidado, dando profundidade aos personagens e amarrando a trama tão minuciosamente que até a contagem do tempo é impecável. Há também um mapa do reino de Raysh, para situar o leitor no espaço, mostrando o cuidado com que o autor construiu sua história. O livro é tão envolvente que, mesmo sabendo que o caminho trilhado por Fidler é pouco ético, não deixamos de torcer pelo seu sucesso e a concretização de sua vingança.

Criador e criatura

Assim como George R. R. Martin, autor da saga Game of Thrones, Paiva não se priva de matar personagens importantes, criando reviravoltas surpreendentes na trama, principalmente nos primeiros capítulos. O resultado é uma obra envolvente, de leitura simples e uma trama perfeitamente bem conduzida cuja única crítica negativa fica para a capa do livro, de difícil visualização (espada preta no fundo preto não dá!) e tão simplista que não corresponde ao seu conteúdo.

A capa é simples demais para um conteúdo tão rico.

De qualquer forma, o ditado “não julgue um livro pela capa” é levado ao pé da letra nessa obra. Imperdível a todos os amantes de fantasia medieval! Cavaleiro Negro tem 360 páginas e pode ser adquirido pelo site da Darda Editora.

Dica Literária: Incrível Fantástico Inacreditável

Incrível fantástico inacreditável_CAPA DURA.inddDas personalidades relacionadas ao universo nerd, talvez nenhuma seja tão popular quanto Stan Lee. Criador de heróis como Quarteto Fantástico, O Incrível Hulk, O Poderoso Thor, Homem-Aranha e X-Men, entre outros, Lee também é responsável por influenciar gerações com as histórias vibrantes de heróis tão humanos quanto qualquer um de nós e, indiretamente, contribuiu para a explosão de produções cinematográficas baseadas nesses personagens, que levam multidões aos cinemas. Por isso, nada mais justo que esse ícone da cultura pop inaugurar um novo selo editorial voltado ao universo geek.

TCHA-RAAAAAAAAM!! Lee inaugura novo selo geek

TCHA-RAAAAAAAAM!! Lee inaugura novo selo geek

O livro Incrível Fantástico Inacreditável conta a biografia do criador do Universo Marvel, com um texto dinâmico escrito pelo próprio Lee, em parceria com o roteirista Peter David e ilustrado por Collen Doran, com tradução de Maurício Muniz, editor da revista Mundo Nerd e do blog O Pastel Nerd. Esta é a primeira obra do selo Geektopia, da Editora Novo Século – responsável pela publicação de uma linha de livros dos super-heróis Marvel, como Guerra Civil, A Morte do Capitão América, Guerras Secretas e outros – que trará graphic novels e obras em quadrinhos de diversos gêneros a fim de atender a demanda do público geek por esse tipo de material.

Texto é bem humorado e imagens são descontraídas.

Texto é bem humorado e imagens são descontraídas.

Por ser em quadrinhos, a obra transforma a biografia do autor – algo costumeiramente chato de se ler – em algo agradável e divertido, numa linguagem bem acessível para os jovens leitores, mas que também agrada os leitores veteranos. O livro apresenta sua trajetória, desde a infância pobre nos anos da Grande Depressão americana, passando pelos primeiros empregos até o convite para trabalhar com Martin Goodman, executivo da Atlas Comics – que viria a se tornar a Marvel.

Desentendimentos com Jack Kirby foram amenizados no texto.

Desentendimentos com Jack Kirby foram amenizados no texto.

Como a história é narrada sob o ponto de vista do próprio autor, alguns fatos podem parecer tendenciosos – como os desentendimentos com os lendários Steve Ditko e Jack Kirby, cocriadores do Universo Marvel, os quais são “atenuados” na narrativa – mas apresentam uma outra visão sobre o assunto. A impressão que dá é que a biografia é uma resposta ao best-seller Marvel Comics – A História Secreta, de Sean Howe, que revela fatos obscuros dos bastidores da criação da Marvel, no qual Lee é apresentado como vilão em alguns trechos.

Brincadeira com a concorrente

Brincadeira com a concorrente

Independentemente dessas picuinhas editoriais, o livro é delicioso de se ler, tem um texto muito bem humorado – uma característica do autor – e conta, resumidamente, como nasceu o império Marvel nos quadrinhos, TV e cinema, inclusive com algumas alfinetadas na concorrência, mas sempre de forma divertida e não ofensiva. Leitores antigos entenderão as referências contidas no texto e nas ilustrações e os leitores mais novos encontrarão na obra uma referência para conhecer um pouco mais sobre a Marvel e seus fantásticos super-heróis.

"Compre meu livro, ou mando o Dr. Destino lhe fazer uma visita."

“Compre meu livro, ou mando o Dr. Destino lhe fazer uma visita.”

O livro tem 192 páginas, capa dura com acabamento especial e formato 17, 5cm X 26cm. Junto com outros livros biográficos como o já citado Marvel Comics – A História Secreta (Sean Lowe) e Stan Lee: O Reinventor dos Super-Heróis (Roberto Guedes) e a edição especial da revista Mundo dos Super-Heróis, este é mais uma obra de referência que não pode faltar na estante dos fãs de quadrinhos.

Obras de referência que não podem faltar na estante do fã de quadrinhos

Obras de referência que não podem faltar na estante do fã de quadrinhos

Dica Literária: Poderes

blog abreOrganizada pelo escritor Davi Paiva, o livro Poderes: Contos Sobre Pessoas Com Dons Extraordinários é uma coletânea lançada pela Darda Editora que reúne 24 histórias sobre pessoas dotadas de algum poder que a diferencia das outras pessoas. Trata-se da primeira antologia de contos organizada por Paiva, que já participou de várias obras de diversas editoras como contista e agora ganha, ele próprio, o “poder” de editar um livro.

Davi Paiva, organizador da antologia Poderes, exibe suas obras já publicadas (Foto: Arquivo Pessoal)

Davi Paiva, organizador da antologia Poderes, exibe suas obras já publicadas (Foto: Arquivo Pessoal)

As histórias navegam entre o extraordinário (pessoas com poder de voar ou viajar entre dimensões), mitologia (lobisomens e deuses nórdicos), passando pelo corriqueiro, como dons de cura e de persuasão. Entre os autores, de diversas localidades do Brasil, há contistas experientes, com publicações em outras obras, como também há estreantes. Nenhum deles faz feio: as histórias, em média com cinco páginas cada uma, são bem agradáveis, de leitura rápida e que exploram as várias facetas humanas, mostrando como cada um utiliza seus dons, nem todos de forma ética ou benevolente.

A temática de poderes incomuns vem num momento privilegiado, onde as produções cinematográficas de super-heróis estão em alta, o que torna o livro bem mais atraente, permitindo ampliar a discussão sobre preconceito e a própria visão de mundo dos leitores, pois os contos também exploram a reação dos personagens diante das pessoas dotadas de dons extraordinários. Ao final de cada conto, um minicurrículo de seu autor com email de contato aproxima o leitor de seu contista preferido, pois permite um contato para manifestar a opinião ou até mesmo adquirir outras obras do mesmo.

Os livros têm o maior poder de todos: o de levar os leitores a ser quem eles quiserem. Até mesmo um super-herói.

Os livros têm o maior poder de todos: o de levar os leitores a ser quem eles quiserem. Até mesmo um super-herói.

Poderes: Contos Sobre Pessoas com Dons Extraordinários possui 152 páginas e pode ser adquirido no site da Darda Editora. O livro pode apresentar pessoas com superpoderes, mas após sua leitura, a certeza que fica é que o maior poder é a criatividade, que permite ao autor envolver seus leitores e levá-los a universos fantásticos onde tudo é possível.

Dica Literária: Era uma vez: Urgente!

blog abreRecontar contos de fada já não é mais novidade. Cinema, TV e, principalmente, literatura, que é sua fonte primária, estão cheios de exemplos de versões e “re-versões” das histórias que encantam crianças e adultos há vários séculos. Difícil fazer uma nova versão que seja, de fato, interessante. Mas os autores Anvimar Gasparello, Deyse Campos, Isabel Lombardi e Marcos Meier conseguiram criar uma obra divertida e extremamente criativa em Era uma vez: Urgente!, lançado pelo sele Minisaberes da editora Ibpex.

Os autores, da esquerda para a direita: Anvimar, Deyse, Marcos e Isabel   no lançamento do livro.

Os autores, da esquerda para a direita: Anvimar, Deyse, Marcos e Isabel no lançamento do livro.

O livro imita o estilo dos grandes jornais e transforma os contos de fada em notícias, devidamente separadas em cadernos (Policial, Comportamento, Atualidades, Saúde, Social, Ciências e Tecnologia, Economia, Cultura e Esportes). Assim, os autores mesclam os contos numa notícia (às vezes, entram também canções folclóricas), destacando suas principais características e frases marcantes para criar uma estrutura que ensina ao leitor os diversos estilos narrativos presentes nos jornais – notícia, reportagem, manchete, entrevista e crônica).

Em estilo de texto jornalístico, contos de fada e canções folclóricas criam um novo jeito de contar histórias.

Em estilo de texto jornalístico, contos de fada e canções folclóricas criam um novo jeito de contar histórias.

O caderno de Saúde, por exemplo, traz uma “reportagem” sobre os perigos de contaminação em moças solteiras que beijam sapos. Com bom humor, o texto brinca com a história O Príncipe Sapo e a canção O Sapo Não Lava o Pé, dizendo que os sapos beijados podem transmitir doenças por causa dos pés sujos. A coluna Social traz a notícia de um “Baile Beneficente” para arrecadar fundos para a ONG Encontre um Marido com Apenas uma Valsa, referência à clássica história da Cinderela, enquanto que o caderno de Esportes relata a vitória de Dona Tartaruga na corrida contra a Lebre.

Este "jornal" também tem espaço para os anunciantes - saídos do faz-de-conta, claro!

Este “jornal” também tem espaço para os anunciantes – saídos do faz-de-conta, claro!

O “livro-jornal” também tem espaço para anúncios, que seguem o mesmo esquema bem humorado e apresentam produtos e empresas fictícias, inspirados nas histórias. Encerra o livro uma coluna de “Classificados” divertidos e o caderno Diversão, com passatempos – já respondidos – e até um horóscopo. O livro tem 72 páginas, formato magazine (25cm X 17cm) e conta com ilustrações de André Figueiredo Müller.

"É verdade que a senhora anda comendo vovós pela floresta? Senhora? Senhora!

“É verdade que a senhora anda comendo vovós pela floresta? Senhora? Senhora!!”

A obra foi lançada em 2013, mas só agora tivemos a oportunidade de lê-la. Não importa: assim como os contos de fada nunca envelhecem, Era Uma Vez: Urgente! também é atemporal e, como os noticiários, traz o sabor de novidade. Não existe “notícia velha” quando uma boa ideia inventa uma nova maneira de contar histórias. Adquira o livro diretamente pelo site da editora.