Editora Kimera lança HQs de super-heróis brasileiros

Começa hoje e vai até o dia 10 de setembro, no Riocentro (Barra da Tijuca/RJ), a 18ª. edição da Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Como é comum nesse evento, tem lançamentos para todos os gostos, mas um especial merece nosso destaque: a Editora Kimera ingressa no universo dos quadrinhos com duas grandes novidades: as revistas dos heróis Lagarto Negro e Capitão R.E.D, títulos que eram lançados de forma independente e não tinham periodicidade definida.

Lagarto Negro é um dos lançamentos da Editora Kimera

Lagarto Negro é um herói criado por Gabriel Rocha em 1998. O herói estreou no fanzine Impacto e suas histórias são ambientadas na cidade do Rio de Janeiro, em seus cantos mais obscuros e sombrios, bem diferente da cidade turística que vemos nos cartões postais. O herói tem seu nome inspirado num animal típico da América Latina e não possui superpoderes, mas é um hábil lutador treinado pela Polícia Federal e prefere usar armas não letais no combate ao crime, como seu inseparável nunchaku (bastões ligados por uma corrente, bastante utilizado nas artes marciais). A identidade do herói nunca foi revelada e esse é o charme por trás do personagem.

Capitão R.E.D republica primeira edição e segue com novas aventuras.

Já o Capitão R.E.D é criação de Elenildo Lopes, no ano de 2012. Principal operativo da R.E.D. (Distrito de Risco e Emergência), uma organização pertencente à Polícia Federal, o Capitão R.E.D possui uma armadura repleta de armamentos especiais, dos quais o destaque é seu escudo, que ele traz acoplado no peito. Sua estreia se deu em título próprio, lançado pelo selo Meu Herói, de propriedade do autor e, embora não tenha tido continuidade, o herói também participou da revista Protocolo: A Ordem (também lançada de forma independente pelo autor) e terá importante papel na nova revista Alfa: A Primera Ordem (que também será lançada em breve pela Editora Kimera).

Lagarto Negro combate o crime sem usar armas letais…

As duas revistas terão 36 páginas, formato americano (17cm X 26 cm) e papel couché. Segundo Lopes, a ideia inicial é que a revista seja semestral e conclua o arco que ficou pendente, uma vez que Capitão R.E.D só teve uma edição lançada. Já o Lagarto Negro tem um pouco mais de estrada e dará continuidade às aventuras do herói. É interessante notar que a Editora Kimera resolveu investir em super-heróis nacionais e escolheu dois que possuem muitas similaridades: além das histórias se passarem no Rio de Janeiro, ambos são personagens ligados à Polícia.

…Já o Capitão R.E.D é violência pura, com uma armadura cheia de armas perigosas.

As duas edições número zero serão lançadas na Bienal do Rio de Janeiro e o número seguinte sairá em breve. Os autores estarão presentes nos dias 1 e 9 de setembro para tarde de autógrafos a partir das 13h, no stand da editora, localizada no Pavilhão Verde, rua P016. Para conhecer um pouco mais sobre os personagens, visite o site do Lagarto Negro e do Capitão R.E.D. No site da Editora Kimera, ainda não há informações sobre as HQs, exceto um teaser sobre o lançamento, mas a próxima atualização da página deve trazer dados mais recentes.

Anúncios

Álbum “Protocolo: A Ordem” é lançado em evento simultâneo

blog abreAcontece amanhã, em evento simultâneo realizado em São Paulo e Rio de Janeiro, o lançamento do álbum em quadrinhos Protocolo: A Ordem, projeto independente idealizado pelo roteirista e ator Elenildo Lopes em parceria com diversos artistas nacionais. O encontro acontece amanhã, 4 de junho, das 10h às 16h, na unidade de Niterói da RedZero (Av. Visconde do Rio Branco, 243 – Loja 1 – em frente ao Terminal Rodoviário) e também na unidade RedZero Lapa, em São Paulo (R. Clélia, 2062), das 11h às 16h. A entrada é gratuita.

 

Uma das páginas da HQ, estrelada pelo Capitão R.E.D.

Uma das páginas da HQ, estrelada pelo Capitão R.E.D.

A HQ passou por um longo processo para se tornar realidade, incluindo duas campanhas para captação de recursos no site Catarse, além do tradicional processo de roteiro, arte e impressão. Finalmente, os leitores poderão conferir essa iniciativa inédita, que reuniu mais de 20 quadrinhistas brasileiros e conta com a união de vários super-heróis 100% nacionais numa mesma aventura, lutando contra uma ameaça comum. Dentre os personagens que aparecerão na história estão Dragão Negro (criação de Thiago da Silva Mota que é o roteirista da HQ), RBoy (criado por Daniel Arcos, diagramador do projeto), Inferno (personagem de Augusto Velásquez responsável pelo planejamento e marketing) e Capitão R.E.D. (idealizado por Elenildo Lopes, que também é o criador da obra).

Os heróis que fazem parte da trama em arte de Lunyo Alves de Souza

Os heróis que fazem parte da trama em arte de Lunyo Alves de Souza

Além do lançamento do álbum, o evento terá palestras com artistas, tarde de autógrafos, venda de material colecionável dos autores, stands de games e outras atividades. A graphic novel possui 96 páginas, formato 16 x 25cm, papel couché, em cores e terá preço de venda de R$ 35,00. Os colaboradores que financiaram o projeto no Catarse poderão retirar sua HQ no dia do evento.

 

 

Heróis brasileiros se unem e pedem ajuda

blog abreA partir de segunda-feira (10), um projeto de quadrinhos 100% brasileiro começa a tomar forma. O álbum DQB – Heróis Brasileiros – A Ordem reúne mais de 20 super-heróis brasileiros (sim, eles existem!) num mesmo álbum, para enfrentar uma ameaça de proporções cósmicas. A publicação terá o financiamento coletivo via site Catarse e a coleta das doações vai de hoje até janeiro de 2015.

Elenildo Lopes é o idealizador do projeto (Foto: arquivo pessoal do autor)

Elenildo Lopes é o idealizador do projeto (Foto: arquivo pessoal do autor)

A iniciativa foi ideia do roteirista Elenildo Lopes, criador do personagem Capitão R.E.D., que se juntou a outros criadores na tentativa de impulsionar o mercado nacional. E, já que é pra fazer, o negócio é sonhar alto e marcar época: nunca antes tantos heróis brasileiros se uniram numa mesma história. A iniciativa é, para a nossa realidade, tão inovadora quanto foi a criação da Liga da Justiça, lá nos anos 1940. A sinopse do álbum revela que, há bilhões de eras, houve o despertar de uma perigosa entidade chamada Darkface, que provocou uma supernova, chamando a atenção de vários seres cósmicos, que foram dominados pelo vilão.

O projeto está sendo bancado via financiamento coletivo no site Catarse.

O projeto está sendo bancado via financiamento coletivo no site Catarse.

Uma dessas criaturas é Unwath, que foi enviada à Terra para destruir o planeta. Para combatê-lo, vários heróis uniram suas forças, culminando numa explosão atômica que dividiu a entidade em sete partes e a espalhou em vários cantos do universo. Desacreditados e perseguidos, os heróis brasileiros precisam provar seus poderes e convicções para recuperar o prestígio. É quando surge uma nova entidade do bem para ajudá-los a lutarem juntos numa guerra sem precedentes contra os poderosos inimigos.

Gian Danton (E) e Joe Bennett (D) são apenas dois dos nomes envolvidos.

Gian Danton (E) e Joe Bennett (D) são apenas dois dos nomes envolvidos.

Para dar vida ao projeto, nomes experientes e consagrados no quadrinho nacional foram chamados: o roteiro ficará a cargo de Gian Danton, autor do livro O roteiro nas histórias em quadrinhos, Watchmen e a Teoria do Caos e a HQ do Astronauta no álbum MSP+50, entre outros. Danton, inclusive, criará um herói inédito exclusivamente para o álbum. As artes serão produzidas por nomes como Joe Bennet (Captain America, Deathstroke), Ivan Rodrigues (The Shadow, The Spider) e Diogo Freu (Zenescope Entertainment). As artes promocionais estão a cargo de José Luís (Vampirella: Southern Gothic, Teen Titans) e Rom Freire (Fausto de Goethe, 12 Comics) e a colorização será feita por Gil Santos (Capitão R.E.D).

Arte promocional do álbum

Arte promocional do álbum

O álbum terá 100 páginas, totalmente à cores, no formato 16 x 25 cm e miolo em papel couché, garantindo excelente qualidade. Vinte e quatro super-heróis farão parte da história. São eles (com seus respectivos autores entre parênteses):

Anjo Urbano (Rodrigo Dos Santos)
Bruce, O Exterminador (Denilson Reis)
Capitão R.E.D (Elenildo Lopes)
Carniça (Marcelo Gomes)
Cover (José Amorim Neto)
Crânio (Francinildo Sena)
Dragão Negro (Thiago Silva)
Ginasta (Heraldo Wilson)
Homem Trator (João Vital)
Inferno (Augusto Velazquez de Brito)
Jaguara (Altemar Domingos)
Jou Ventania (Lincoln Nery)
Lagarto Negro (Gabriel Rocha)
Máximus (Alan Yango)
Max (Luciano Oliveira)
Morbidus (Rudimar Patrocínio)
Oigo (Diego José)
Papo Amarelo (Moacir Torres)
RBoy (Daniel Costa)
Resistente (Juliano Rocha)
Soberano (Lunyo Alves de Souza)
Velta (Emir Ribeiro)
Vulto (Wellington Santos)
Personagem secreto (Gian Danton)

Fichas técnicas dão informações sobre os personagens.

Fichas técnicas dão informações sobre os personagens.

O custo total da impressão é de R$ 45 mil, montante que está sendo coletado via site Catarse. Para quem não sabe, o Catarse é um site de financiamento coletivo onde os autores apresentam seus projetos para que as pessoas interessadas em transformá-los em realidade deixem suas colaborações. Caso o valor pretendido não seja atingido no prazo, esse valor é devolvido. Se o projeto arrecadar o valor, uma série de brindes são oferecidos aos colaboradores (veja mais informações no site).

Capitão R.E.D. convoca os heróis à luta.

Capitão R.E.D. convoca os heróis à luta.

Segundo Elenildo Lopes, “o gênero nacional ainda sofre com a falta de interesse e investimento, principalmente quando se trata de quadrinhos de super-heróis. O Selo Editorial MeuHerói e nossos autores resistem e lutam porque acreditam na força dos quadrinhos brasileiros.” E lança um desafio: “Você pode ser um herói! Junte-se a nós! Financie, ajude-nos a tornar este projeto realidade!” As doações vão até janeiro de 2015 e a previsão é que, caso o valor seja atingido, os colaboradores recebam seus brindes até abril do mesmo ano.

A volta do Capitão RED

blog abreLançada em 2012 pelo selo independente Meu Herói, a revista em quadrinhos Capitão R.E.D. apresentou o novo super-herói brasileiro, soldado de elite da R.E.D – Distrito de Risco e Emergência, uma tropa especial de combate ao crime no Rio de Janeiro do futuro. A edição número 1 teve aceitação bastante positiva de público e crítica, mas como foi feita com recursos próprios, não teve uma continuidade. Até agora.

Teaser que anuncia o retorno do Capitão

Teaser que anuncia o retorno do Capitão

O roteirista e idealizador do projeto, Elenildo Lopes, anunciou com exclusividade para este blox o retorno do herói em abril, mês em que o personagem comemora dois anos de sua estreia e também quando o próprio autor celebra seu aniversário. Trata-se de uma versão digital e em inglês do primeiro número, que chega com o objetivo de atingir o mercado internacional.

Sucesso internacional: revista é lançada em versão digital em inglês

Sucesso internacional: revista é lançada em versão digital em inglês

O texto foi traduzido por Maurício Muniz, colaborador da revista Mundo dos Super-Heróis e editor da Gal Editora. Lopes explica que sua ideia é lançar uma versão em inglês em formato digital e negociar com alguma editora americana a publicação impressa ou mesmo virtual da revista, caso haja interesse.  A revista Captain R.E.D – Risk and Emergency District traz, além da origem do personagem, uma história paralela – O Prólogo de Davi – que conta como um garoto de rua teve sua vida modificada pelo super-herói (leia a crítica da edição número 1 aqui).

Esboços para o uniforme do herói na edição 2

Esboços para o uniforme do herói na edição 2

Por enquanto, os recursos ainda estão indisponíveis, mas tão logo seja lançada, a revista poderá ser adquirida pelo site Capitão R.E.D. ou pela fan page da revista no Facebook. O autor também anuncia que o número 2 está com o roteiro sendo finalizado e lançamento previsto para breve.

Saído do Forno: Capitão R.E.D. já está à venda

O público brasileiro já pode, a partir de hoje, adquirir a HQ do mais novo super-herói nacional, o Capitão R.E.D. É que a revista do personagem, lançamento do novo selo editorial Meu Herói, já disponibilizou a primeira edição para pré-venda no site oficial. O título já teve várias ações promocionais (veja aqui, aqui e aqui) que despertaram a curiosidade do público, virando até mesmo um viral no Facebook.

Jogo para "montar" o herói movimentou as redes sociais

O lançamento coincide com o mês de aniversário do autor, Elenildo Lopes, que realiza um antigo sonho. Para comemorar, aqueles que adquirirem a revista pelo site terão um desconto especial: de R$ 6,90 + o valor do frete, a HQ custará R$ 5,90 + frete. As entregas ocorrerão a partir de 1º. de maio. Em estilo comics e formato americano, Capitão R.E.D possui 40 páginas totalmente coloridas.

História paralela à principal teve divulgação online

Alinhada aos novos tempos, a revista tem também um tie-in (expressão que significa uma história paralela que está interligada com a HQ principal) on line chamada Prólogo de Davi. Divulgada no dia 14 de abril, o preview apresenta Davi, um garoto de rua que, em meio a tantos problemas, encontra no herói um novo rumo para sua vida.

Capitão R.E.D e sua tropa

A história se passa no Rio de Janeiro, alguns anos no futuro – logo após os eventos olímpicos – e mostra uma cidade onde a criminalidade cresceu a níveis assustadores (será uma previsão de que as Olimpíadas no Brasil não foram uma boa ideia?). Porém, o R.E.D. (Distrito de Risco e Emergência) já vinha treinando oficiais de elite para atuar contra o crime. O principal deles é o Capitão R.E.D., que usa um escudo e uma armadura especiais, equipada com todo armamento necessário para o combate à criminalidade.

Rio de Janeiro é paisagem para a trama da HQ

O primeiro número apresenta os personagens e mostra o herói em ação contra a bandidagem nas ruas de Niterói – claro que a Ponte Rio-Niterói é uma das paisagens da trama, por onde o Capitão R.E.D. circula com sua moto supersônica. Seu principal inimigo nesse número de estreia é o impiedoso Ratão, líder da facção criminosa D.O.R. (a sigla não é explicada neste número de estreia). O vilão é o verdadeiro clichê do homem mau: cruel, covarde e inescrupuloso, não mede esforços para derrotar e humilhar o herói.

Arte dinâmica do desenhista A-Lima e cores de Gil Santos

A arte do desenhista A-Lima é eficiente e a HQ tem um visual clean e dinâmico, mas o texto ainda possui alguns erros conceituais que precisam ser corrigidos – em determinado momento, é mencionado que “a ONU, em união com vários países…”, sendo que a ONU já é a união dos países. Outra falha é o próprio nome do personagem, americanizado demais para uma HQ nacional. Como a roupa do herói é vermelha, dá pra entender o motivo dele ser chamado de RED. O que é difícil de engolir é que R.E.D. é a sigla para Distrito de Risco e Emergência.

Põe na tela!

Fora estas falhas, que certamente se corrigirão com o tempo, a revista do Capitão R.E.D. tem um clima bem realista que lembra o noticiário policial do fim de tarde, com oficiais subindo os morros cariocas para caçar bandidos e a cobertura, por vezes inconveniente, da Imprensa em seu helicóptero. Merece a leitura.

Para mais informações acesse o www.capitaored.com.br

Compre com desconto

Capitão R.E.D., o mais novo herói brasileiro

Depois de várias semanas de suspense, finalmente o Capitão R.E.D. mostrou a cara. O site Meu Herói, que virou selo editorial (conforme foi publicado aqui), lançará, em breve, o primeiro número da revista Capitão R.E.D., herói que trabalha numa tropa especial da polícia brasileira. Durante semanas, o site vinha fazendo suspense com o lançamento, postando diversos teasers nas redes sociais, criando suspense em torno do título.

teasers criam suspense em torno do título.

Hoje, numa brincadeira com os seguidores do Twitter e Facebook, foram postados vários pedaços do herói, formando um quebra-cabeça que revelou a imagem do personagem. Além de promover o novo título, o jogo também prometeu premiar com a primeira edição da revista Capitão R.E.D. o internauta que completasse a imagem do super-herói e postasse no mural da página do Meu Herói no Facebook.

Ainda não há previsão para o lançamento, mas pelo andar da carruagem, deve acontecer em breve. Se o título é bom, só vamos saber quando a revista chegar às bancas, mas se depender da expectativa, será um sucesso de vendas.

Eis o homem! (Clique para ver maior)