Dica Literária: Cavaleiro Negro

No início deste ano, foi lançado pela Darda Editora o livro Cavaleiro Negro, primeiro livro solo do autor Davi Paiva. O escritor já participa há vários anos de antologias, juntamente com outros autores e até já chegou a ser organizador de duas delas para a mesma editora – Poderes (cuja crítica fizemos aqui) e o recém-lançado Monstros Entre Nós (aguarde crítica para breve) – mas é a primeira vez que Paiva tem um livro inteiro só seu.

A trajetória de um garoto se transformando num homem sedento de vingança.

A trama conta a história do jovem Fidler Koogan, desde sua infância trágica até ele se tornar o rei da província de Ryddle, do fictício mundo de Raysh (uma analogia à palavra alemã reich – império, nação). O livro se divide em sete arcos – Infância, Esgrima, Veneno, Magia, Convocação, Guerra e Rei -, cada um deles contando uma fase da transformação do ambicioso Fidler num hábil lutador de um estilo proibido de luta, mostrando sua determinação em atingir seus objetivos e arquitetar uma vingança contra aqueles que lhe fizeram sofrer.

Uma jornada inesperada pelo reino de Raysh.

É clara na história a influência de obras como Game of Thrones, O Senhor dos Anéis, Star Wars, Eragon e outros épicos da fantasia, além de games como Ragnarök e Magic – The Gathering, mas o autor constrói sua história com muito cuidado, dando profundidade aos personagens e amarrando a trama tão minuciosamente que até a contagem do tempo é impecável. Há também um mapa do reino de Raysh, para situar o leitor no espaço, mostrando o cuidado com que o autor construiu sua história. O livro é tão envolvente que, mesmo sabendo que o caminho trilhado por Fidler é pouco ético, não deixamos de torcer pelo seu sucesso e a concretização de sua vingança.

Criador e criatura

Assim como George R. R. Martin, autor da saga Game of Thrones, Paiva não se priva de matar personagens importantes, criando reviravoltas surpreendentes na trama, principalmente nos primeiros capítulos. O resultado é uma obra envolvente, de leitura simples e uma trama perfeitamente bem conduzida cuja única crítica negativa fica para a capa do livro, de difícil visualização (espada preta no fundo preto não dá!) e tão simplista que não corresponde ao seu conteúdo.

A capa é simples demais para um conteúdo tão rico.

De qualquer forma, o ditado “não julgue um livro pela capa” é levado ao pé da letra nessa obra. Imperdível a todos os amantes de fantasia medieval! Cavaleiro Negro tem 360 páginas e pode ser adquirido pelo site da Darda Editora.

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s