Leituras da Semana – Fevereiro (4)

blog-logo-leituras4Na semana derradeira do mês, alguns lançamentos e encadernados interessantes, outros nem tanto.

Um tributo ao monarca da Latvéria.

Um tributo ao monarca da Latvéria.

Os Livros do Destino (ago/2014) – Republicação de um material já publicado na antiga Universo Marvel Anual, mas que passou batido na época do lançamento (2008). Neste relançamento em capa dura, com melhor acabamento, é muito mais prazerosa a leitura da origem do monarca da Latvéria. A trama é escrita por Ed Brubaker, que dispensa apresentações… mas mesmo assim, eu farei: trata-se do roteirista que trouxe Bucky de volta da morte e provou que o Capitão América é um herói muito mais interessante do que o povo anti-americano quer fazer crer. Ele faz o mesmo com o Dr. Destino, escarafunchando detalhes na origem do tirano desde sua infância até a tomada do poder na Latvéria, transformando-se no líder da nação. O único problema é o excesso de uso da palavra “destino” no texto, usado sempre que se queria falar sobre a sina do protagonista. Um recurso cansativo e desnecessário. Mas não tira o mérito da história, que é excelente.

Se você tiver saco para chegar até o final desta HQ, vai ter vontade de se vingar dos autores.

Se você tiver saco para chegar até o final desta HQ, vai ter vontade de se vingar dos autores.

Vingança (out/2014) – Numa primeira olhada na capa desta edição, a ideia que se tem é de uma genialidade sem fim: os seis vilões em destaque (Loki, Magneto, Dr. Octopus, Caveira Vermelha, Dr. DestinoMercenário) são os mesmos que tiveram seus encadernados publicados anteriormente. Com isso, dá pra imaginar que a história será algo envolvendo esses seis personagens numa trama de vingança contra os seus algozes super-heróis, correto? Errado. O título trata de uma nova versão da Brigada Juvenil (aquela, que tinha o Rick Jones como líder, lá nos anos 1960) tentando ser relevante. O problema é que o título não mostra a que veio. Uma história mal escrita, com ideias desconexas que não chegam a lugar algum. A breve participação de cada vilão é totalmente “jogada”,  sem sentido e/ou relevância. A narrativa é irregular, com várias ideias querendo ser transmitidas ao mesmo tempo, tornando o roteiro praticamente incompreensível. Resumindo: uma HQ chata, muito chata. Um suplício chegar até o final.

Um retorno glorioso aos quadrinhos

Um retorno glorioso aos quadrinhos

Star Wars – Skywalker Ataca (fev/2017) – Primeiro encadernado da nova série de HQs de Star Wars publicada pela Panini, que compila as seis primeiras edições do título. A trama se passa entre os episódios IV e – logo após a destruição da Estrela da Morte e antes de Darth Vader e os rebeldes se encontrarem pela primeira vez (não me lembro se eles se encontraram no Episódio IV, mas na HQ, é isso que é mostrado). A história, escrita por Jason Aaron, capta o espírito dos filmes e transpõe para o quadrinho com uma fidelidade magistral. História cheia de ação no melhor estilo Star Wars. E vale dizer que a diagramação é tão perfeita que te faz até ouvir a trilha sonora de John Willians. Coleção muito bem vinda na versão encadernada.

Diversão pura!

Diversão pura!

Aranhaverso 8 (Jan/2017) – A revista toma um novo rumo após Guerras Secretas e, ao invés de trazer um herói diferente relacionado ao universo do Homem-Aranha a cada edição, passa a dividir o título com todos eles. Assim, há um novo recomeço para Homem-Aranha 2099, Gwen-Aranha, Teia de Seda, Mulher-Aranha e a estreia dos Guerreiros da Teia, um grupo formado por Homens-Aranha de vários universos diferentes, unidos para proteger as realidades onde não existem aracnídeos. Uma ideia bacana e divertida, que inclui uma divertida ponta do Homem-Aranha do desenho animado de 1967 e a sempre engraçada participação do Porco-Aranha. Leitura pra lá de descontraída.

Magia e humor

Magia e humor

Clássicos do Cinema 55 – Cascão Porker e a Câmera Secreta (Fev/2017) – Mais uma excelente sátira cinematográfica da Turma da Mõnica, cheia de trocadilhos e referências escondidas da cultura pop. A piada está no título e na sonoridade das palavras “câmera” e “câmara” (que, a bem da verdade, muita gente não sabe a diferença do significado, mas que é muito bem explicada nesta HQ). Ótimo roteiro de Flávio Teixeira de Jesus (que faz uma ponta no final da história, junto com o “pai” da turma da Mônica).

Piadinhas infames e diálogos descerebrados.

Piadinhas infames e diálogos descerebrados.

Homem-Aranha & Deadpool 1 (fev/2017) – Sempre considerei o Deadpool uma cópia mal feita do Homem-Aranha. Primeiro, porque o grande piadista da Marvel sempre foi o aracnídeo e Deadpool, originalmente, não fazia piadas, só depois é que começou a bancar o engraçadinho insuportável. Segundo, porque as máscaras dos dois heróis são bem semelhantes (vermelhas, com grandes olhos de contornos pretos e cobrem todo o rosto). Por fim, porque Deadpool foi criado por Rob Liefeld, cujo histórico não é lá uma grande profusão de originalidades. Por ser uma cópia mal feita, nunca será igual ao original, que tem o bom humor nas veias – ou teias, com o perdão do trocadilho. Alguém na Marvel teve a ideia de juntar os dois em um título regular e parece que agradou o público. No Brasil, o título terá uma história de Spider-Man/Deadpool e outra de Mercs for Money, só com Deadpool e outros mercenários tão ridículos quanto. Graça mesmo, não tem nenhuma. Mas se você gosta de piadas infames e diálogos desprovidos de coerência, este é o seu gibi. Boa sorte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s