Leituras da Semana – Fevereiro (3)

blog-logo-leituras3Na semana de 12 a 18 de fevereiro, as atuais revistas da Totalmente Nova Marvel e alguns encadernados atrasados.

Homem de Ferro e sua nova armadura sem boca em aventuras descoladas

Homem de Ferro e sua nova armadura sem boca em aventuras descoladas

Homem de Ferro 2 (jan/2017) – Ao mesmo tempo em que continua sua caçada à Madame Máscara, agora envolvida com magia, o Homem de Ferro testa as novas habilidades de sua atual armadura, pede ajuda ao Dr. Estranho, tem que lidar com um grupo de ninjas, visita um orfanado e recebe ajuda do Dr. Destino durante um ataque na boate de Mary Jane. Tudo isso em duas histórias. As HQs são dinâmicas, texto leve, gostosa de ler.

Peter Parker percebe que grandes poderes trazem grandes problemas.

Peter Parker percebe que grandes poderes trazem grandes problemas.

O Espetacular Homem-Aranha 3 (jan/2017) – O bacana das histórias em quadrinhos de super-heróis é quando mostram que, mesmo com poderes extraordinários, nem sempre o herói vence. Nisso, o Homem-Aranha é hors-concours. Acostumado a ver seus entes queridos morrendo e sua vida desmoronar e recomeçar a cada novo dia, o aracnídeo conquistou uma legião de fãs que se identificam com essa vida injusta que é de todos nós. Nesta edição, o agora milionário Peter Parker instala uma fonte de energia sustentável numa vila pobre na África, mas percebe que os interesses econômicos podem ser mais invencíveis do que um supervilão assassino. E o Homem-Aranha II (chamarei assim o Homem-Aranha de Miles Morales) enfrenta uma ameaça implacável: sua avó.

A gênese do Monstro do Pântano em sete histórias sombrias.

A gênese do Monstro do Pântano em sete histórias sombrias.

Monstro do Pântano: Raízes – Vol. 2 (dez/2016) – Este segundo volume conclui a participação do roteirista e criador do Monstro do Pântano, Len Wein, no título do personagem. São sete histórias – uma delas com a participação do Batman – que trabalha muito bem o clima sombrio e de terror que as histórias da criatura tentavam imprimir naquela época. Monstros bizarros, seres sobrenaturais, alienígenas… histórias que mexem com o psicológico (naquela época, porque atualmente, são risíveis!), mas com a cara dos quadrinhos de super-herói. Bem legal.

Simplesmente divertida

Simplesmente divertida

Guardiões da Galáxia 2 (jan/2017) – Pensa no Groot contando uma história. Pois é o que acontece nesta edição. Entre as várias entonações de “Eu sou Groot”, o herói arbóreo (ou seja lá como se chamaria uma criatura assim) conta os fatos que o levaram a procurar seu amigo Rocky, dado como morto. O clima bem humorado da história é a marca registrada deste título, que também tem a história solo de Drax na mesma sintonia – quer um exemplo? Tomar cerveja com Terrax, o Dominador num bar intergaláctico até ambos ficarem bêbados – e os Guardiões da Galáxia lidando com Hala, uma kree muito brava porque seu planeta foi destruído. Uma revista bem leve e gostosa de ler, que, efetivamente, não tem histórias muito relevantes para efeitos de cronologia, mas que, ao menos, garantem um sorriso nos lábios.

Aventuras genéricas, bobinhas... e nostálgicas.

Aventuras genéricas, bobinhas… e nostálgicas.

Coleção Oficial de Graphic Novels Salvat – O Invencível Homem de Ferro: O Início do Fim – Ed. XVII (dez/2016) – Para quem pensa que apenas James Rodhes e a atual Riri Willians assumiram o manto do Homem de Ferro, este encadernado traz uma versão do Vingador Dourado que pouca gente conhecia. O arco de histórias mostra uma sucessão de eventos que culminou com a desistência de Tony Stark em ser o herói blindado por conta de seu enfraquecido coração e passando o legado para outra pessoa. São histórias cheias de drama e ação, com um tom inocente e algumas situações totalmente inverossímeis vistas com a mentalidade de hoje mas que, naqueles anos iniciais da Marvel, ninguém dava atenção. O que valia era se divertir. E como a gente se divertia!

Injustiça: universo alternativo melhor que o oficial.

Injustiça: universo alternativo melhor que o oficial.

Injustiça: Deuses entre Nós – Volume 6 (out/2016) – Encadernado que encerra o terceiro ano de histórias do universo baseado no game Injustice: God Among Us. A ação é frenética, o roteiro é bacana e o mais bacana é o fato de envolver exatamente TODOS os personagens do Universo DC, que aparecem na trama conforme a necessidade. Mesmo com a troca de roteiristas (sai Tom Taylor, entra Brian Buccellato), o que ocasionou uma queda na qualidade das histórias, a série mantém um bom nível e, em nenhum momento, se torna cansativa ou passa a impressão de que o roteirista está apenas “esticando” a trama sem ter o que contar. Pelo contrário, a história continua bem desenvolvida. Aguardemos o Ano 4.

Edição dedicada à heroína classe D, Teia de Seda.

Edição dedicada à heroína classe D, Teia de Seda.

Aranhaverso 7 (dez/2016) – Uma heroína desnecessária (Teia de Seda) em histórias divertidas e bem escritas. Apesar de detestar a personagem (mais uma criação do enfadonho Dan Slott), esta edição, que reúne as sete primeiras edições da revista Silk, antes do evento Guerras Secretas, mostram a heroína tentando se encontrar num mundo que ela não compreende, já que ficou 10 anos em hibernação. Entremeadas por flashbacks de sua vida passada, Teia de Seda vai buscando se adaptar aos nossos dias e reencontrar sua família, perdida uma década antes. Não diria que se trata de uma HQ essencial, mas pelo menos, não faz feio no seu objetivo de distrair e divertir.

Edição marca estreia da série do Homem-Formiga.

Edição marca estreia da série do Homem-Formiga.

Avante, Vingadores! 2 (jan/2017) – Embora a capa seja sobre as consequências dos atos do Esquadrão Supremo na última edição – e que me deixaram chocado – a grande destaque deste número da revista é a estreia da nova série do Homem-Formiga. Depois da edição especial (que, inclusive, ficou entre as melhores revistas de 2016, na opinião deste blog), o herói ganha uma série solo bem humorada que mostra os problemas enfrentados pela agência de segurança fundada por ele em Miami, além de ter que lidar com as responsabilidades (e confusões) de sua vida civil. A série dos Supremos revisita a origem de Galactus, Força V convoca mais uma integrante e Capitã Marvel explora o espaço com a Tropa Alfa. Só o “Incrivelmente Sensacional Hulk” é incrivelmente infantil e irritante. Numa tentativa de ser descoladona, a Marvel acabou com um de seus mais icônicos personagens.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s