Em Primeira Mão: Liga da Justiça Dark

blog-abreÀ venda a partir de fevereiro nos Estados Unidos, Liga da Justiça Sombria (Justice League Dark, 2017) é a nova animação da Warner/DC, trazendo a equipe de heróis místicos da editora, para lutar contra ameaças sobrenaturais com as quais a Liga da Justiça oficial não conseguiria lidar. Formada por Constantine, Zatanna, Jason Blood (o humano que divide o corpo com o demônio Etrigan), o fantasmagórico Desafiador e o Monstro do Pântano, a animação conta também com a participação do Batman liderando o grupo, num óbvio chamariz de vendas, já que dificilmente a equipe teria atenção sem um rosto conhecido. Marketing certíssimo da Warner e da DC Animated.

Mesmo com a presença do Batman, a estrela do filme é John Constantine

Mesmo com a presença do Batman, a estrela do filme é John Constantine

Mas a presença do Homem-Morcego na trama é o que menos incomoda, já que a estrela é mesmo John Constantine. É ele quem lidera os místicos numa jornada para descobrir uma anomalia sobrenatural que estava fazendo as pessoas ao redor do planeta enxergarem demônios em todo canto e matarem pessoas inocentes e até seus próprios familiares. A Liga da Justiça, incapaz de lidar com uma ameaça que não enxergam, decidiram recorrer aos especialistas, que se uniram em busca do responsável pelas perturbações místicas.

Zatanna teve que fazer mágica pra se destacar nesse desenho.

Zatanna teve que fazer mágica pra se destacar nesse desenho.

A história explora muito bem a personalidade de cada personagem – o sarcasmo e a “cafajestice” de Constantine, o bom humor do Desafiador, a amargura de Jason Blood e o poder quase ilimitado de seu alter ego. Só Zatanna estava meio perdida na trama e parecia não ter muito o que fazer, muito embora tenha seus momentos. O desenho tem uma trama muito boa, repleta de ação e muitas reviravoltas, mas definitivamente não é um desenho para crianças, tanto que sua classificação é Rated-R, que significa restrito a um público abaixo de 18 anos, exceto se acompanhado dos pais. É uma história adulta, meio pesada em sua temática, pois o sobrenatural é tratado como algo sério e não como uma fantasia visual, como no filme do Doutor Estranho.

Animação adapta grupo que surgiu na fase Novos 52.

Animação adapta grupo que surgiu na fase Novos 52.

Já fazia algum tempo que as animações da DC não atingiam um patamar tão bom. Desde que a divisão animada se alinhou à fase dos Novos 52 e passou a adaptar as sagas deste período, esquecendo a fase clássica – exceção feita à Batman – O Cavaleiro das Trevas e A Piada Mortal, este último, numa adaptação vexaminosa (veja crítica aqui) – as tramas decaíram bastante, embora a qualidade técnica dos desenhos tenha permanecido imbatível.

Etrigan fala tudo rimado e também brilha nesse desenho irado.

Etrigan fala tudo rimado e também brilha nesse desenho irado.

Com a Liga da Justiça Sombria (que também é um fruto da fase Novos 52), a editora reencontrou um caminho mesclando uma boa história, personagens bem desenvolvidos e muita ação. Esses ingredientes fazem do desenho uma excelente opção para aqueles que gostam de uma aventura animada de super-heróis. A expectativa é que as próximas animações mantenham essa qualidade. Liga da Justiça Sombria ainda não tem data de lançamento no Brasil, mas deve chegar às lojas ainda no primeiro semestre de 2017.

Cotação: blog-liga-dark