Top 10 – Os piores filmes da Marvel

blog abreSempre que um novo filme de quadrinhos surge no cinema, é comum os nerds criarem sua lista de favoritos e conversarem sobre qual gostaram mais, qual é o menos bom e, assim, montarem um ranking de favoritos. Motivado pelo fracasso de Quarteto Fant4stico e pela pergunta dos amigos sobre se o Quarteto é melhor ou pior do que aquele outro filme X ou Y, que também é ruim pra dedéu, resolvi montar minha lista de piores.

É melhor ver o filme do Pelé.

É melhor ver o filme do Pelé.

Como estava tendo problemas em organizar o ranking (sim, é complicado decidir uma ordem de filmes ruins, tanto quanto de filmes bons. Difícil escolher qual é o pior…), decidi adotar alguns critérios para não ser tendencioso: escolhi os dez filmes e dei algumas notas para roteiro, efeitos, personagens e fidelidade às HQs, com notas de 1 a 5. Eis o resultado.

"Em quem será que Joel Schumacher se inspirou pra fazer os mamilos do Batman?"

“Em quem será que Joel Schumacher se inspirou pra fazer os mamilos do Batman?”

10 – Howard, o Super-Herói (Howard, The Duck, 1986): Com uma votação de 12 pontos, este filme tem toda cara de “produção Sessão da Tarde“. É daqueles que é tão ruim que até diverte, porque não foi feito pra ser sério mesmo. Então até que dá pra dar um desconto pela tosquice e dar boas risadas.

"É aqui o teste de elenco para a série 'Agentes da Shield'?"

“É aqui o teste de elenco para a série ‘Agentes da Shield’?”

9 – Nick Fury – Agente da S.H.I.E.L.D. (Nick Fury, Agent of Shield, 1998): Feito para TV, esta produção mostra o diretor da SHIELD, interpretado por David Hasselhoff, astro das séries Super Máquina e Baywatch, enfrentando o Barão Strucker e sua filha Víbora. Fez 11 pontos na nossa votação e ganhou a maior nota (4) no quesito personagem. Não chega nem aos pés de Samuel L. Jackson, mas também não desrespeitou a mitologia do herói.

"Foi daqui que pediram uma pizza americana? Não ouvi direito com essas orelhas de borracha..."

“Foi daqui que pediram uma pizza americana? Não ouvi direito com essas orelhas de borracha…”

8 – Capitão América (Captain America, 1990): Com 10 pontos no total, este filme é execrado pelos fãs por conta do Caveira Vermelha italiano e pelos efeitos especiais ruinzinhos. Mas o uniforme do Capitão está bem fiel ao original dos quadrinhos, tanto que ele ganhou uma nota 4 no quesito personagem. Até as orelhas pra fora da máscara ele tinha (mesmo que fossem de borracha). O filme é ruim, mas ainda é “assistível”.

"Obrigado, Josh Trank, por tirar um peso de nossas costas!"

“Obrigado, Josh Trank, por tirar um peso de nossas costas!”

7 – O Quarteto Fantástico (The Fantastic Four, 1994): A icônica produção de Roger Corman virou lenda entre os fãs. Foi feita às pressas para que o estúdio alemão Constantin Films não perdesse os direitos dos personagens, com um orçamento de apenas US$ 1,5 milhão. Claro que o resultado foi constrangedor! Mas no quesito fidelidade às HQs, ganhou um 3, bem como no quesito personagem. Os uniformes do Quarteto estão bacanas (dentro do possível, claro!) e o Dr. Destino é melhor do que a versão atual.

"Por dirigir essa coisa, merece sofrer com meu Olhar de Penitência"

“Por dirigir essa coisa, merece sofrer com meu Olhar de Penitência”

6 – Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança (Ghost Rider: Spirit of Vengeance, 2011): a tentativa de fazer uma versão melhor que a anterior, de 2007, fez com que os diretores optassem por um herói mais queimado e sombrio (leia nossa crítica aqui). O problema é que, mesmo dirigido a quatro mãos, o roteiro não empolga, a fumaceira preta que sai da cabeça em chamas do Motoqueiro Fantasma incomoda, o ator Nicolas Cage exagera nas caras e bocas e o ator Christopher Lambert desperdiça seu talento numa participação monossilábica. Um erro que, ainda assim conquistou uma nota 3 no quesito efeitos especiais, garantindo a sexta posição no nosso ranking.

"Vou fazer o teste para a próxima versão do Motoqueiro Fantasma."

“Vou fazer o teste para a próxima versão do Motoqueiro Fantasma.”

5 – O Justiceiro (The Punisher, 1989): Não contente com o fracasso de seu He-Man (que até tem algumas coisas boas se você desconsiderar que aquele é o herói de Etérnia), o sueco Dolph Lundgreen ainda tentou uma nova investida no ramo de super-heróis e encarnou o Justiceiro. Só que não. Apesar da história do homem que vê a família ser assassinada e decide eliminar todos os criminosos, o personagem ficou totalmente descaracterizado numa trama policial qualquer. Nem tiveram a dignidade de lhe dar uma caveira no peito. Ainda assim, conquistou sete pontos na nossa votação.

Ciclope, Garota Marvel, Fera, Anjo e Homem de Gelo... não, pera...

Ciclope, Garota Marvel, Fera, Anjo e Homem de Gelo… não, pera…

4 – Geração X (Generation X, 1996): Mais uma produção feita para a TV, com o objetivo de ser o piloto de uma série. Como era trabalhoso fazer um filme com os X-Men, os grandes líderes de venda da Marvel na década de 1990, que tal começar com a equipe mutante de terceiro escalão? Ficou tão ruim que não rendeu nem a série de TV, quanto mais superar os originais… Ainda bem que, quatro anos depois, Bryan Singer nos deu um longa-metragem digno. Hoje, as pessoas sequer lembram que essa bomba existiu. Só não é pior que os três filmes abaixo porque ganhou um 2 para o roteiro e outro para fidelidade às HQs (a Rainha Branca até que é legal, vai…).

"Bota o nome dos X-Men lá no alto, quem sabe o povo pensa que o filme é bom?"

“Bota o nome dos X-Men lá no alto, quem sabe o povo pensa que o filme é bom?”

3 – Quarteto Fant4stico (Fantastic 4, 2015): Olha ele aí! Forte concorrente à pior produção de 2015, a família primordial da Marvel ainda conquistou a terceira colocação. Empatou com o filme seguinte (5 pontos), mas ficou numa colocação melhor em respeito às boas ideias que o filme teve (que, infelizmente, foram mal aproveitadas).

Todo aquele que tem medo queima ao toque do Homem-Coisa. Mas no filme foi o herói quem foi queimado.

Todo aquele que tem medo queima ao toque do Homem-Coisa. Mas no filme foi o herói quem foi queimado.

2 – Homem-Coisa – A Natureza do Medo (Man-Thing, 2005): Produção com pretensões de ser filme de terror, mas que o que assusta mesmo é como alguém pode gastar dinheiro com algo tão ruim. A trama insere o monstro do pântano (Ops!) apenas como um subterfúgio para alguns sustos (que não acontecem) numa história que mistura lendas indígenas num terreno assombrado e… ah, não queira entender. Se jogarem as cópias desse filme no pântano, vão dar indigestão nos jacarés.

Parece ator pornô, mas é o Dr. Estranho.

Parece ator pornô, mas é o Dr. Estranho.

1 – Dr. Estranho (Dr. Strange, 1978): O grande campeão dos filmes ruins, com apenas quatro pontos (nota 1 em cada categoria). O desrespeito ao personagem já começa com ele sendo um psiquiatra ao invés de médico. Há outro mago supremo, que quer passar o manto (literalmente) para Strange, que não acredita em misticismo. A grande vilã é Morgana Le Fay, a feiticeira dos tempos do Rei Arthur. Um horror! Espera-se que a Marvel traga a redenção ao mago, pois ele merece!

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s