Não se fazem mais trilhas de super-heróis como antigamente

Montagem sobre o design de Jim Bowers (Capedwonder.com)

Montagem sobre o design de Jim Bowers (Capedwonder.com)

A recente onda de filmes de super-heróis trouxe, em sua grande maioria e reservadas as devidas proporções, adaptações muito boas e fiéis aos quadrinhos. Um dos elementos que contribui para um bom filme é a sua trilha sonora. No caso dos filmes de super-heróis, algumas trilhas se tornam tão icônicas que o simples soar de alguns acordes, já remetem ao personagem.

"Homem-Aranha, Homem-Aranha, nunca bate, só apanha" A letra está errada, mas a melodia você lembrou!

“Homem-Aranha, Homem-Aranha, nunca bate, só apanha” A letra está errada, mas a melodia você lembrou!

Sem desmerecer os compositores atuais, o que se percebe é que as trilhas de antigamente eram feitas para servir de identidade aos heróis. As mais modernas parece que são apenas comerciais, feitas para dar o clima ao filme – e isso elas fazem muito bem – mas dificilmente se tornam uma marca registrada. Tanto que, nas continuações, o Main Title – trilha principal – é diferente em cada produção, coisa que não deveria acontecer se o objetivo é servir de identidade para o personagem.

"Ei, Tony, qual é o nosso tema mesmo?"  "Peraí, deixa eu consultar o banco de dados do Jarvis que eu também não lembro..."

“Ei, Tony, qual é o nosso tema mesmo?”
“Peraí, deixa eu consultar o banco de dados do Jarvis que eu também não lembro…”

Quer ver um exemplo? Cante a música-tema do filme do Homem de Ferro (2008). Sentiu dificuldades? Ok, vamos ser mais contemporâneos: cante a música-tema dos Vingadores. Batman? Que tal O Espetacular Homem-Aranha? Lembra da música principal do Thor? Difícil, né… Agora se eu disser: cante o tema do Homem-Aranha do desenho animado dos anos 1960, é fácil lembrar, mesmo que você não tenha nascido naquela época. E o tema do Batman da série de TV? E o Batman de Tim Burton? Mulher-Maravilha? E o dos desenhos desanimados do Thor, Homem de Ferro e Capitão América?

Até o meu tema é uma maravilha!

Até o meu tema é uma maravilha!

Estas últimas, certamente, foram mais fáceis de lembrar porque se tornaram uma marca registrada dos personagens que as novas trilhas não conseguiram tirar, por melhores que sejam. Na verdade, nem se trata de “substituir”, porque isso é impossível, mas de dar uma nova marca, que é o que os filmes atuais vem fazendo com os super-heróis.

Hans Zimmer e sua orquestra

Hans Zimmer e sua orquestra

Em breve teremos o novo filme do Superman nas telas. O diretor Zack Snyder optou por não utilizar o tema clássico do herói criado por John Willians para o longa de 1978. Até aí, nada de errado, visto que se trata de uma visão moderna do personagem e, como tal, ter uma nova trilha sonora faz todo o sentido (embora, para muitos fãs, isso seja uma heresia. Mas não somos tão radicais assim). O competentíssimo Hans Zimmer foi chamado para compor a nova trilha e o fez de forma primorosa. O grande problema é que, nas 24 faixas que fazem parte da edição de luxo, nenhuma delas é impactante o suficiente para se tornar a marca característica do herói, como foi o tema de John Willians.

Já pensou nessa cena com o tema do Superman? Com a nova trilha de Hans Zimmer, isso é possível.

Já pensou nessa cena com o tema do Superman? Com a nova trilha de Hans Zimmer, isso é possível.

A música é bonita, isso é fato. Casadas com as cenas do filme, certamente, será impactante e produzirá o clima necessário. Mas trata-se de uma música lenta por demais, que poderia ser tocada no filme Titanic e teria um excelente resultado. Não há um tema vibrante como exige um personagem superpoderoso, capaz de voar de mover planetas com as mãos. Mais uma vez, reforço: não se trata de uma trilha sonora ruim, mas uma trilha sonora que não casa com o personagem.

A trilha de Homem de Ferro homenageia a música clássica dos anos 60.

A trilha de Homem de Ferro homenageia a música clássica dos anos 60.

Isso não é exclusividade de Zimmer, evidentemente. Alan Silvestri fez uma excelente trabalho em Os Vingadores. James Horner também bolou a trilha perfeita para O Espetacular Homem-Aranha, de modo que é difícil imaginar aquelas cenas com outra canção. Da mesma forma, a música que Danny Elfman criou para a trilogia anterior do aracnídeo também foi quase perfeita. Quase, porque tanto esta como as outras são esquecíveis. Esse é o problema das trilhas atuais: são boas, mas temporais. Daqui a 20 anos é pouco provável que alguém se lembre delas.

Todas as trilhas do Superman mantiveram uma identidade musical do personagem.

Todas as trilhas do Superman mantiveram uma identidade musical do personagem.

A maior prova de que as trilhas atuais são produtos momentâneos é que cada novo filme de uma mesma franquia, troca-se os compositores. Foi assim com os X-Men (incluindo X-Men Origens: Wolverine e X-Men First Class) e Homem de Ferro. É verdade que os cinco filmes do Superman também tiveram compositores diferentes (John Willians no primeiro, Ken Thorne no segundo e terceiro, Alexander Courage no quarto e, finalmente, John Ottman para Superman Returns). Todos eles, porém, mantiveram o tema criado por Willians, o que fez toda a diferença na hora de gravar no inconsciente do espectador a relação tema-personagem. A trilogia do Batman de Christopher Nolan também teve Zimmer como autor da trilha sonora, mas padeceu do mesmo problema: a falta de um tema que remetesse ao herói.

Nova trilha de Hans Zimmer: excelente, mas não tem cara de Superman

Nova trilha de Hans Zimmer: excelente, mas não tem cara de Superman

Faz falta um tema marcante para os super-heróis no nosso tempo. Uma trilha que, quando ouvida, nos faça lembrar automaticamente do personagem, independente da mídia. Talvez alguma trilha mais marcante nos lembre das cenas do filme, mas dissociada do personagem. Esperamos que Hollywood perceba que, mais que uma superprodução milionária, esses personagens ultrapassam o tempo e, nas próximas gerações, eles continuarão tão ativos como nunca. Precisamos de uma trilha que também não envelheça e que continue tão atual como se fosse feita hoje. John Williams pensou nisso – e sem precisar apagar da memória a trilha da série de TV com George Reeves.

Vale mencionar que, quando Superman-O Filme estreou no Brasil, um crítico da revista Veja publicou a seguinte pérola: “Os pratos da orquestra ribombam em vão: jamais despertarão nem os superouvidos adormecidos pela criptonita (sic) desses violinos melosos. Melhor ouvir o filme”. Que diria ele, ao ouvir a atual trilha sonora de Man of Steel? Melhor nem querer saber…

Lembre aqui algumas trilhas icônicas de super-heróis:

Anúncios

2 comentários

  1. Excelente.. realmente é o que eu acho… no momento faltam identidades… agora uma pergunta… no caso do Danny Elfman que fez a trilha do Batman que também se tornou clássica e do homem aranha de 2002.. o que vc acha? abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s