Saído do Forno: Capitã Marvel 1

Recentemente, a Marvel anunciou o lançamento de um novo título mensal, cuja protagonista é uma versão feminina do Capitão Marvel. A notícia causou certa repercussão, primeiramente porque a versão feminina do Capitão Marvel já existe: é a Miss Marvel, codinome da oficial Carol Danvers, membro dos Vingadores. A dúvida era se a tal “Capitã Marvel” do título seria a mesma personagem que mudou de nome ou se seria uma nova heroína.

Decididamente, este uniforme era bem melhor!

Outro motivo para a polêmica era o uniforme da Capitã, que imita o estilo de seu paralelo masculino – enquanto que o traje de Miss Marvel era um maiô preto com um raio atravessado, a nova Capitã usava uma roupa bem mais comportada, com o corpo todo coberto. Muita gente criticou o novo traje, outros aprovaram… enfim, a editora conseguiu o que queria: chamar a atenção para a nova revista e despertar a curiosidade.

Heroína passou por reboo… hã… renovação.

O título tem data de setembro e deve chegar às comic shops americanas em breve (se ainda não chegou). E sim, a Capitã Marvel é Carol Danvers. A partir de agora, ela adotou um novo nome, nova roupa e um novo status no universo de super-heróis. Ao menos, é o que a editora pretende, ao tentar, pela enésima vez, revitalizar a personagem e até resgatar um pouco suas origens. Mas falemos da edição de estreia…

Capitã estreia em grande estilo.

O número de estreia da Capitã Marvel não traz muitas novidades, além do tal uniforme estiloso. A aventura começa com a heroína já com seu novo visual, enfrentando um gigantesco Homem-Absorvente ao lado do Capitão América. A mudança de traje se deu após a saga Avengers Vs. X-Men e envolveu a Força Fênix e o salvamento do planeta-natal do Capitão Marvel, Hala – não vamos dar mais detalhes para não entregar spoilers.

Primeira aparição. Mas, oficialmente, a estreia é em seu próprio título.

A primeira aparição de Carol com seu novo traje se deu na revista Avenging Spider-Man 9, mas sua estreia oficial é mesmo em seu próprio título. Por conta da batalha em Hala, a heroína decide manter vivo o legado do herói Kree e adota um uniforme semelhante ao dele. Após derrotar o Homem-Absorvente, o novo visual da Miss Marvel chama a atenção da Imprensa, que pensa se tratar de uma “nova aliada” do Capitão América. Por conta disso, o Sentinela da Liberdade sugere que, já que ela decidiu manter vivo o legado do Capitão Marvel, que o fizesse completamente e carregasse também seu nome. Relutante a princípio, Carol concorda e decide adotar o nome de Capitã Marvel.

Piada no jornal

Interessante notar que o nome em inglês da personagem é invariável, tanto no masculino como no feminino. Assim, uma manchete do Clarim Diário estampa a manchete: New Captain Marvel: And He’s a She! (Novo Capitão Marvel: E ele é ela!). Uma piada que se perde na tradução… O restante da história gira em torno dos conflitos da heroína e do relacionamento com uma antiga amiga, piloto da Força Aérea, cuja habilidade no voo ela nunca conseguiu superar sem utilizar seus superpoderes. A amiga morre e Carol leva suas cinzas para o espaço. Comovente, só que não.

Edição de estreia da heroína, em 1977

Não é de hoje que a Marvel tenta transformar Miss Marvel numa personagem importante, sem sucesso. Sua própria estreia em 1977 foi uma tentativa da editora em criar uma heroína que fosse a “cara” da Marvel, assim como a Mulher-Maravilha era para a concorrente. Deu certo por um período, principalmente porque Ms. Marvel foi associada ao universo do Homem-Aranha (Carol Danvers trabalhava como editora de uma revista feminina editada por J. Jonah Jameson), mas logo a personagem perdeu popularidade.

Segundo título da heroína trazia aventuras fracas

Em 2006, a heroína ganhou um novo título-solo que durou até 2010 e foi publicado no Brasil pela Panini, na revista dos Vingadores, mas foi tremendamente criticado pelos fãs, que consideravam as histórias fracas. O título atual chega com ares de revolução, mas não cumpre o que promete. Apesar da bonita arte de Dexter Soy, a história é lenta e sem grandes atrativos, parecendo mais do mesmo.

Ao infinito… rumo a novas aventuras (ou não)

A Capitã Marvel funciona muito bem nas aventuras dos Vingadores, mas como heroína-solo não tem o apelo necessário para segurar um título. Vamos ver quanto tempo isso vai durar.

A primeira Capitã Marvel não tinha nada a ver com o Capitão Marvel. Hoje, ela é chamada Pulsar.

Curiosidade: uma outra heroína adotou o nome de Capitã Marvel na década de 80. Trata-se de Monica Rambeau, que ganhou superpoderes ao ser bombardeada por energia extra-dimensional. Com isso, passou a manipular qualquer tipo de energia eletromagnética. Como Capitã Marvel, já foi líder dos Vingadores e, atualmente, participa do grupo Nova Onda, com o codinome Pulsar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s