Crítica: Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança

Estreou neste final de semana, o filme Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança, aguardado com certa expectativa por este que vos escreve, uma vez que, ao contrário da maioria dos críticos, tem o primeiro filme como uma boa produção. Com o anúncio de que a continuação corrigiria os defeitos do primeiro filme, a esperança de que o personagem conquistasse um lugar ao sol era grande… Mas ainda não foi dessa vez.

Ação frenética nos primeiro minutos de filme

Ninguém pode reclamar que Motoqueiro Fantasma 2 (vamos chamá-lo assim) não tenha ação. Os diretores Mark Neveldine e Brian Taylor, que já haviam dirigido o filme Adrenalina 1 e 2, rechearam a aventura do herói flamejante com muita adrenalina (com o perdão do trocadilho). O filme já começa com uma agitada perseguição com direito a tiros, carros capotando e explodindo.

"Deixei os portais de Asgard para ajudar o Motoqueiro"

O jovem Danny (que, em nenhum momento do filme é mencionado como sendo Danny Ketch, o segundo Motoqueiro Fantasma dos gibis), protegido por uma seita religiosa, é perseguido por malfeitores e consegue escapar juntamente com sua mãe, graças a ajuda de Moreau (Idris Elba, o Heimdall de Thor). O motivo foi sendo revelado conforme a história se desenrola: ele é o corpo perfeito, preparado pelo próprio demônio para ser o receptáculo para sua encarnação na terra.

Ele quer "sair", mas Blaze não deixa.

Alguém tem que impedir que isso aconteça e sobra para nosso herói flamejante. Escondido e controlando, com muita dor e esforço, suas transformações em Motoqueiro Fantasma, Johnny Blaze (Nicolas Cage, mais canastrão do que nunca) luta para se livrar de sua maldição. Moreau o encontra e promete a cura, desde que ele ajude a resgatar e proteger o pequeno Danny.

Blecaute: vilão tirado das páginas dos gibis

Essa é a missão de Blaze, que vai nortear todo o filme, até a batalha final do Motoqueiro Fantasma com seus algozes: o vilão Blecaute (Johnny Whitworth), que tem o toque da morte, e Roarke (Ciarán Hinds), o demônio em pessoa (“Ele se apresenta com vários nomes”, diz Moreau em certo momento).

Tem fogo e fumaça preta até na hora do xixi

O erro de Motoqueiro Fantasma 2 é não ter uma trama paralela. Tudo gira em torno de encontrar o Danny, proteger o Danny, resgatar o Danny, proteger o Danny, regado com perseguições frenéticas, carros explodindo e fogo, muito fogo, mas muito fogo MESMO. O filme é um verdadeiro espetáculo pirotécnico. Tudo explode, tudo pega fogo e tudo solta tanta fumaça preta que chega a incomodar.

Visual mais queimado e perfil mais violento

Esse visual hardcore foi feito para agradar os fãs do personagem, que exigiram um herói mais condizente com seu perfil dos quadrinhos: agressivo, violento e impiedoso, bem diferente da caveira clean do primeiro filme. Até aí, tudo bem. Mas dar um clima mais infernal à produção, não significa que o personagem está melhor adaptado, principalmente quando tudo que o Motoqueiro faz é urrar, gritar e mexer o corpo com movimentos robóticos, embalado em uma tonelada de efeitos visuais pirotécnicos que nada contribuem para a trama.

Olhar de penitência perdeu o sentido

Além disso, não há química entre os personagens, que parecem todos meio forçados na trama. Até agora, não entendi o que Christopher Lambert fez ali, num papel praticamente figurativo. Um talento desperdiçado, sem dúvida. Para piorar, há vários erros conceituais que não vamos revelar por completo para não entregar spoilers, mas vale dizer que o olhar de penitência do Motoqueiro Fantasma foi totalmente descaracterizado e virou apenas uma forma de se ver as chamas do crânio do herói refletida no olho do criminoso. Nada além disso. Também é inconcebível que o diabão, o Senhor das Trevas, o todo-poderoso dos reinos infernais seja retratado como um banana que tem medo de sua própria criação. Quem, teoricamente, tem tanto poder, não pode desfazer aquilo que fez? Como assim, Bial?

Methodius, vulgo "O que eu tô fazendo aqui?"

Porém, nem tudo é ruim no filme: há uma forma bem bacana de contar os flashbacks: a origem do Motoqueiro é recontada em estilo motion comic (animação que consiste em dar movimento a imagens estáticas), mesclada com atores reais. Também a origem de Zarathos, o demônio que habita a alma de Johnny Blaze e confere a ele seus poderes, é retratada dessa forma, embasando a mitologia do herói. Uma inovação dentro de uma produção cinematográfica que, sem dúvida, tornou o filme mais ligado à sua mídia de origem, as HQs. A interpretação de Fergus Riordan, no papel de Danny, também garante os melhores momentos. O garoto tem futuro.

Cage dando aulas de interpretação a Riordan. Felizmente, o garoto não aprendeu.

Nicolas Cage já anunciou que gostaria de fazer um Motoqueiro Fantasma 3, mas é melhor ele desistir da ideia. Se a ideia de Motoqueiro Fantasma 2 era redimir o personagem de sua produção anterior, a missão foi mal-sucedida. Ele continua sendo um personagem amaldiçoado, tanto no seu conceito, como nas adaptações cinematográficas. Cage precisa arrumar outro herói favorito pra encarnar. Só esperamos que não seja o Superman!

Cotação: 

Anúncios

23 comentários

  1. Confesso que não assisti o primeiro filme, e acredito que não estou perdendo nada, mas esse segundo filme foi regular. gostei dos efeitos que teve, o Monrou ficou bem legal, mas o problema foi o Cage como Blaze e aquela mulherzinha chata.
    Se, assim como eu, voce não goste de carnaval, até assista o filme

    Possível spoiler
    Em suas tranformações, eu acreditava que ele tinha saido de Walking Dead.

  2. Hahaha eu fui um dos leitores (que na época nem tinha o “X da questão”) e lembro que só voce gostou. Sou um dos que deixa o Carnaval chegar pra assistir tudo o que vem pela frente e fui ver. Bem Mutante eu gostei mais deste… desculpe. Lembrando que não conheço os quadrinhos. Eu o achei mais infernal que o anterior, voce tem razão quanto ao Ex galã Nicolas Cage que além de Canastra (que sempre foi) tá caidinho detalhe na cena que ele levanta a camisa pra mostrar as cicatrizes… kkkk. Também achei o Demo super banana principalemnte na cena final em que ele faz a “Viagem ao Centro da Terra”. Uma ótima sacada foi a cena dentro do Tunel onde ele na moto a luta entre o Motoqueiro e Blaze indo e vindo alucinado… é perfeita e hilária. Um dos destaques pra mim foi o menino que interpretou Dany (filho de sangue do satâ) com uma interpretação ás vezes de dar medo. Gostei bastante e concordo com voce ele tem futuro. Bati palmas para os flashbacks mencionados por voce… muito boa sacada.
    Agora uma pergunta daquele que não conhece a histótia. A cena final mostra uma chama azul no Motoqueiro, ele passa a ser bonzinho??? mais controlado??? descobre as horigens de anjo??? dany será o novo motoqueiro???
    Muito boa matéria como sempre… do seu fã Jeff

  3. Carnaval, fui assistir. Entrei no cinema e fiz 2 comentários com a minha mulher: 1) normalmente a continuação é pior e por isso e vão pecar no enredo e vão exagerar nos efeitos para aproveitar o 3D, 2) vamos assistir a uma cópia dublada pra não atrapalhar o nosso aproveitamento do 3D. Saí do cinema dizendo: 1) Exageraram mesmo nos efeitos, 2) poderíamos ter assistido a uma cópia legendada porque as vozes estavam péssimas e o 3D era dispensável (do Danny era a mesma usada em quase todos os filmes dublados – aquele menino que geme quando cai). Além disso, uma coisas meio estranhas e erros. Por exemplo: quem foi que desparafusou o 5 parafusos da roda do carro que capotou no final do filme? Ficou claro que aquele carro era uma sucata. Ah, provavelmente no M.F. 3, o seu adversário será Danny, dando sequência ao pai.

    • Eu estou torcendo para que não exista o Motoqueiro 3. Já ficou provado que não sabem o que fazer com o personagem, assim como fazem o Justiceiro. Quanto ao seu comentário de que a sequência, normalmente é pior, posso citar várias continuações que superaram o filme original: Homem-Aranha 2, X-Men 2, O Império Contra-Ataca e O Cavaleiro das Trevas são bons exemplos. Depois deste fiasco do Motoqueiro, só nos resta torcer pelos Vingadores…

  4. Como se diz as vezes menos é mais. O motoqueiro fantasma 2 foi uma decepção! Conseguiram fazer quem gostou do primeiro filme, meu caso, detestar o filme e não querer ver o terceiro, se houver. Tiraram tudo que era legal do personagem..aquele lance olhe nos meus olhos, que era a marca dele não teve…Deram um nome pro diabo Rork (rork, rork, rork, parecer um porco)…tinha horas que o filme virava um drama e o motoqueiro falava demais…os atores coadjuvantes também não foram muito bem.

    • ri quando você disse:Cage dando aulas de interpretação a Riordan. Felizmente, o garoto não aprendeu.
      Cage tá meio ruim das pernas hoje em dia mas fez grandes filmes como despedida em las vegas. Vi o MF2 no cinema e apesar de sentir um gosto de quero mais até gostei. A resenha ficou ótima e com um roteiro melhor o filme teria ficado infinitamente melhor.

  5. Assisti o primeiro filme e gostei, mas o segundo confesso que não superou minhas expectativas! A começar pelo figurino que não foi como o primeiro onde após a transformação do motoqueiro permanecia intacta e no segundo tinha um aspecto queimado e não teve tanta emoção!

  6. olha eu não entendo muito de filmes , esse filme foi pra mim , perfeito , teve ação teve tudo . o filme não é com o papo de que ” que ele quer o pai vivo pra ele , e então ele tem uma maldição e acaba , final feliz e sem maldição ” . o problema de todos os críticos são que eles não querem dizer nada legal eles simplesmente procuram o erro e não tentam só ver o bom . Esse filme mostra que mesmo sendo uma maldição , que não é controlada , pode ser ainda sim um anjo perdido . tem gente que não entende o filme . isso pra mim é um absurdo . pra mim e pros fãs tende ter o terceiro filme .

    • Valeu, Sara. Opinião respeitada. Mas entenda uma coisa: quando você diz “fãs”, é preciso considerar o seu entendimento da palavra. Os fãs de quadrinhos, que acompanham as aventuras do herói há mais de 30 anos e conhecem o perfil do personagem, em sua maioria, odiaram o filme. Já os fãs de filmes de ação, que gostam de ver lutas, tiros e carros explodindo, esses adoraram. Quando se trata de uma adaptação de quadrinhos, a primeira premissa é ser fiel ao personagem e esse filme não foi. Mas se você reler a crítica, verá que destaco alguns pontos positivos no filme. O problema é que ele é tão ruim que a parte boa fica quase despercebida. Como sugestão, visite nosso outro post “Dez motivos para amar o primeiro Motoqueiro Fantasma” e verá que o primeiro filme, tão malhado pela crítica no mundo (e pelos fãs de quadrinhos também) é considerado muito legal por este crítico. Eis o link: https://mutantexis.wordpress.com/2012/03/10/dez-motivos-para-amar-o-primeiro-motoqueiro-fantasma/

      Um grande abraço

  7. eu e meus amigos fomos olhar esse filme no cinema e todo mundo amou e não foi por causa do 3d e tudo mais,concordo que os casal principal ao tinha quimica porque ele nao se enteresou por ela foi o que eu achei e eu acabei de conferir alguns sites e o filme deixou muitas pessoas interesadas e que gostaram muito do filme . e tambem percebi que a 90 porcento de chanse do 3 aconteser ja que o filme alcansou boas metas .e eu acho que enves de postar coisas ruis sobre os filmes poste coisas boas .sei que ccada um tem sua opniao mas fazer oque esta e a e de milhares de pessoas e muita gente nao olha esses gibis por isso eles fizeram o filme assim para as pessoas entenderem bem o que acontese,filme nota 10 recomendo

    • Laura, primeiramente, gostaria de dizer que sua opinião é respeitada e importante. É bom saber que você e seus amigos gostaram do filme. Nada melhor do que sair do cinema achando que seu ingresso valeu a pena. Infelizmente, não é o que aconteceu com a maioria dos espectadores dessa bomba e provo para você com números: não sei o que você entende por “boas metas”, mas segundo o site Internet Movie DataBase (http://www.imdb.com/title/tt1071875/?ref_=fn_al_tt_2), a produção teve um custo de US$ 57 milhões e rendeu US$ 51,7 de bilheteria. Não precisa ser perito em matemática para saber que o resultado foi negativo e o filme nem se pagou. Com um faturamento desses, dificilmente veremos a terceira parte.
      Além disso, o mesmo site, que é uma referência para produções cinematográficas, também permite que os frequentadores votem nas produções. Mais de 50 mil pessoas votaram neste filme e ele não chegou à nota 4,5. Portanto, não sei qual sua fonte para dizer que “milhares de pessoas” gostaram. Quanto a não olhar para os gibis, é meio impossível, visto que ele foi baseado num personagem de quadrinhos. Seria o mesmo que fazer um filme sobre a vida de Jesus Cristo e não olhar para o que diz a Bíblia. Meio incoerente, concorda (além de profano)?
      Um abraço e continue visitando nosso site. Quando o filme for bom, pode ter certeza de que diremos coisas boas sobre ele. Em nossas postagens temos vários filmes assim. Por sinal, o primeiro Motoqueiro Fantasma é elogiado. E olha que tem muita gente que não curtiu. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s