Cebola que faz rir há 50 anos

Normalmente, cebola faz chorar. Mas quando falamos do Cebolinha, personagem criado por Mauricio de Sousa em 1960, a coisa muda de figura. Ou figula, parodiando o próprio. Hoje (27), Cebolinha celebra 50 anos de sua criação, com a mesma jovialidade e alegria de quando foi criado. Ou não, já que existe também a versão “Jovem”, onde o diminutivo do nome foi suprimido. Agora ele é Cebola, já não tem mais a língua presa e só fala elado quando fica nervoso ou quando tem um “clima” entre ele e a Mônica. É, porque de tanta provocação, o Cebolinh… ops!… o Cebola acabou se apaixonando (embora, como todo adolescente, não dê o braço a torcer diante dos amigos).

Shampoo de cebola faz cair os fios

Cebolinha foi um dos primeiros personagens criados por Mauricio de Sousa (que também faz 75 anos de idade hoje). Inspirado num amigo de Márcio de Sousa, irmão de Mauricio, que trocava o R pelo L, quando estes viviam em Mogi das Cruzes (Interior de SP), o Cebolinha apareceu, pra quem não sabe, antes da Mônica. Era mais cabeludo (tinha vários fios, sempre espetados, parecidos com uma cebola, que lhe rendeu o apelido), mais gordinho e aparecia diariamente em tiras curtas do jornal Folha da Manhã (atual Folha de São Paulo), onde Mauricio trabalhou como repórter policial.

Primeira "levista" do Cebolinha (1973)

Como o público gostou do personagem, logo ele ganhou uma companheira, a dentucinha (que ela não nos ouça) Mônica, esta inspirada na própria filha de Mauricio. Logo, a Mônica roubou a cena e, em 1970 (sim, a revista Mônica também completou 40 anos de existência em maio deste ano) chegou às bancas a segunda revista em quadrinhos de Mauricio (a primeira foi Bidu, em 1960). Três anos depois, Cebolinha ganhava título próprio para viver tlemendas aventulas recheadas de planos infalíveis, brincadeiras no campinho do Bairro do Limoeiro e, claro, incontáveis coelhadas.

Cebolinha pela Editora Globo (1987)

Publicada pela Editora Abril até dezembro de 1986 (168 edições), a revista Cebolinha migrou para a Editora Globo já no mês seguinte, onde ficou por mais 246 meses, até dezembro de 2006. Em janeiro de 2007, estreou novamente na Panini, onde permanece até hoje, alegrando os leitores de todas as idades.

Edição de estreia pela Panini, atual casa da turma da Mônica

Mas quem pensa que o Cebolinha não cresceu, não conhece bem o personagem, nem seu criador. E não estamos falando apenas de sua versão adolescente, publicada na revista Turma da Mônica Jovem. Cebolinha evoluiu e se adaptou às mudanças tecnológicas e aos tempos politicamente corretos: ele continua brincando de carrinho, mas também tem videogame e acessa a Internet; ainda xinga a Mônica, mas não rabisca mais as paredes. Melhor mandar torpedo pelo celular. Tudo para dar um bom exemplo, mesmo que esse exemplo não seja tão bom assim (afinal, xingar a colega não é muito aconselhável…)

Evolução sem perder a juventude

Mas o Cebolinha é uma criança ainda. O amadurecimento trazido com o tempo vai deixar todas essas peraltices pra trás e vai se transformar em paixão adolescente. Só nós, leitores, sabemos disso. Enquanto isso, Cebolinha curte sua eterna infância e continua divertindo crianças, jovens e adultos que cresceram com suas histórias e que, de certa forma, mesmo com mais de 50 anos, ainda guardam no coração o espírito de criança.

Palabéns, Cebolinha! Parabéns, Mauricio de Sousa!

Anúncios

3 comentários

  1. Pingback: PARABÉNS e PALABÉNS! « HQ-CON

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s