Ajuda divina

A moda agora é falar de vampiros, mas se há um outro personagem que também ocupa o imaginário popular e está sempre na moda, estes são os anjos. Originalmente, os anjos são criaturas divinas e perfeitas, que foram criadas por Deus para servi-Lo no Céu e agirem como seus emissários na Terra. Mas ninguém proíbe que sejam usados pela ficção como coadjuvantes de séries de TV e cinema. Neste Top 10, elegemos os melhores e mais famosos anjos das telinhas e telonas. Porque eles existem e estão em todo lugar. Até na cultura pop.

Michael Landon (esq.) é um anjo sem asas

1 – O Homem que Veio do Céu (Highway to Heaven, 1984) – Nesta série, lançada em setembro de 1984, Michael Landon (que tinha brilhado na série Bonanza) interpreta Jonathan Smith, um anjo que vem à terra cumprir a missão de ajudar a humanidade. Para ajudá-lo em suas missões, ele conta com a ajuda de Mark Gordon (Victor French), um ex-policial bronco e ignorante, mas de bom coração. A cada episódio, Jonathan e Mark percorrem os Estados Unidos a caminho de uma nova missão que o “Chefe” (o modo como se referem a Deus na série) lhes confere. Essas missões vão desde ajudar uma família a reencontrar o amor e o respeito por um membro idoso até devolver a esperança a um paciente terminal e dar-lhe forças para a hora de sua morte. A série teve 5 temporadas e durou até 1988. Eram histórias que mesclavam humor, drama e suspense, nas quais Jonathan nunca revelava que era um anjo, embora algumas vezes fosse obrigado a realizar algo extraordinário. No Brasil, fez muito sucesso nos primórdios do SBT e até hoje, este que vos escreve pede uma ajuda aos anjos para que alguma distribuidora se disponha a lançar a série em DVD por aqui.

Monica é uma "anja" aprendiz

2 – Um Toque de Anjo/Caiu do Céu (Touched by an Angel, 1994) – Em 1994, uma nova série angélica chegou às telinhas. Mais ou menos no mesmo estilo de O Homem que Veio do Céu, mas desta vez com uma “anja” como protagonista. Monica (Roma Downey) é um anjo aprendiz que vem a terra para aprender a ajudar as pessoas. Ela conta com a ajuda de Tess (a cantora gospel Della Reese), sua superiora, mas que tem um certo “probleminha” em superar o sentimento de posse do seu possante porshe vermelho conversível. Não raras vezes, quem dá a lição de moral é Monica em Tess e não o inverso. Diferente de Jonathan, Monica sempre revela que é um anjo e, com um brilho intenso, transmite sua mensagem: “Eu sou um anjo e estou aqui para dizer que Deus ama você e quer ajudar a resolver seus problemas”. A série teve um enorme sucesso nos Estados Unidos (durou nove temporadas, de 1994 a 2003), ganhou 25 prêmios e recebeu mais 46 nomeações. No Brasil, estreou na Globo com o esdrúxulo nome de Caiu do Céu. Depois, foi pra Band, que lhe deu um título mais próximo ao original em inglês. Nenhuma das emissoras, no entanto, passou todas as temporadas. O tema de abertura, Walk With You, é cantado por Della Reese. Roma Downey também gravou um CD em 1999 (Healing Angel). É outro sonho de consumo ver a série ser lançada em DVD no Brasil.

Calma, meninas! Esse anjo é de verdade!

3 – Um Anjo Muito Louco (Teen Angel, 1997) – Nem só de atos divinos são feitos os anjos. Eles podem ser também bastante atrapalhados. É o caso desta série, que estreou nos EUA em setembro de 1997 e aqui no Brasil foi exibida pelo SBT. Com apenas 17 episódios, conta as confusões de um anjo adolescente chamado Marty (Mike Damus), enviado para ser o anjo da guarda de Steve Beauchamp (Crobin Alred), um garoto que ficou depressivo após a morte de seu pai e seu melhor amigo. Marty passa a ajudá-lo a superar a depressão, ser mais popular na escola e fazer sucesso entre as meninas. Claro que tudo não é tão fácil quanto parece e Steve acaba sempre se metendo em alguma confusão causada pelo seu anjo da guarda, que mais atrapalha do que ajuda.

Um toque de Anjo... ops, este é o item 2!

4 – Cidade dos Anjos (City of the Angels, 1998) – Apesar da expressão de tomate de Nicholas Cage no papel do anjo Seth, este longa-metragem é o preferido de 10 entre 10 fãs de histórias açucaradas. Seth é um anjo que vem ajudar as pessoas a realizar sua passagem para a outra vida e a Dra. Meggie Rice (Meg Ryan) é uma médica que não acredita no sobrenatural, mas sente a presença de Seth quando seus pacientes morrem, embora não possa vê-lo. O anjo se apaixona pela médica, mas é incapaz de tocá-la. Assim, desiste de sua condição e se torna humano a fim de vivenciar o amor. Lançado em 1998, o filme tem como atrativo extra sua trilha sonora, que casa perfeitamente com a história e ajuda a entrar no clima.

Dogma causou polêmica

5 – Dogma (Dogma, 1999) – Matt Damon e Ben Afleck são dois anjos, Loki e Bartleby, que foram expulsos do céu por desobedecerem a Deus. Como a Igreja tem por tradição conceder o perdão aos pecadores que passarem pela porta de alguns templos num período determinado, os dois anjos enxergam uma possibilidade de voltar ao céu. Porém, ao fazer isso, causarão um paradoxo, pois provarão que Deus falhou em Sua lei e a realidade se destruirá. A única que pode impedi-los é Bethany, uma mulher que trabalha numa clínica de abortos, e uma inusitada equipe formada por um anjo mal humorado, um demônio, dois estúpidos profetas, um apóstolo negro renegado por Cristo e uma musa inspiradora stripper. O diretor Kevin Smith, que também é roteirista de quadrinhos, escreveu e dirigiu esta história que causou grande polêmica ao fazer humor com alguns dos principais dogmas da Igreja Católica. É um filme que fez mais sucesso por conta do bafafá gerado pela Igreja do que pela sua qualidade.

Já imaginou acordar com um anjo no pé da sua cama?

6 – Angels in America (idem, 2003) – Minissérie exibida pela HBO e baseada numa peça teatral, conquistou inúmeros prêmios, entre os quais o Globo de Ouro de melhor minissérie, ator, atriz e ator e atriz coadjuvantes. Também recebeu 21 indicações ao Emmy em 2004. Passa-se no ano de 1985, quando a AIDS estava no auge de sua força, levando cada vez mais pessoas à morte e o preconceito também crescia junto com o pânico. A história gira em torno do casal gay Prior Wilton (Justin Kirk) e Louis Ironson (Ben Shenkman), que se separam porque Prior é portador e Louis não sabe como lidar com isso. com isso; o elenco conta também com Al Pacino, que é homofóbico que não assume a própria homossexualidade e nem a doença, da qual é portador, e Joe Pitt (Patrick Wilson), um jovem advogado que acaba de descobrir sua homossexualidade. A doença e suas conseqüências faz com que todos os personagens interajam. Nesse contexto, surge um anjo (Emma Thompson), que oferece a Prior a oportunidade de se tornar um profeta e ajudar outras pessoas na hora da morte. Embora o tema seja um tanto pesado, a série também intercala o drama com o humor e retrata com fidelidade a realidade da época, quebrando o tabu de que AIDS é “doença de gays” mas se proliferou em todas as classes sociais, credos e orientações sexuais. Também mostra um toque de fé na hora de superar os problemas decorrentes da doença.

Anjinho lindo, né? Nem tanto...

7 – Constantine (Idem, 2005) – Adaptação da HQ Hellblazer, da série Vertigo (DC Comics), John Constantine (Keanu Reeves) é um ocultista que percorre o mundo exorcizando demônios e forças ocultas. Num desses trabalhos, ele ajuda uma policial a investigar a morte de sua irmã gêmea. A investigação leva a dupla a um verdadeiro combate com as forças infernais, sendo que Constantine conta com a proteção do anjo Gabriel (interpretado por uma mulher, a atriz Tilda Swinton). No final, o anjo revela não ser tão angelical quanto aparenta.

Um anjo com cara de agente secreto

8 – Sobrenatural (Supernatural, 2005) – A série Sobrenatural começou com os irmãos Dean e Sam Winchester (Jensen Ackles e Jared Padalecki) investigando o misterioso assassinato da mãe, que morreu de forma sobrenatural (Dãããã! Por isso o nome da série!!) e resolvendo casos semelhantes pelos Estados Unidos. Ao mexer com tantas forças ocultas, Dean acaba indo parar no inferno… e é resgatado pelo anjo Castiel na quarta temporada da série. Interpretado por Misha Collins, Castiel passa a acompanhar Dean e a protegê-lo, pois o jovem é uma peça importante para impedir a invasão do demônio na Terra. Misterioso, Castiel nunca questiona as ordens divinas, mesmo quando estas se mostram obscuras demais a ponto de prejudicar as pessoas e, frequentemente, entra em atrito com Dean, especialmente quando as ordens divinas dizem respeito à vida de Sam.

Só um anjo pode salvar essa policial!

9 – Saving Grace (idem, 2007) – Grace (Holly Hunter) é uma policial nada certinha que decide viver sua vida intensamente depois de presenciar uma grande tragédia. A partir daí, passa a perder seus limites, desafiando autoridades, dormindo com qualquer homem que apareça pela frente e embriagando-se. Numa dessas bebedeiras, atropela um homem à beira da estrada e, desesperada, clama aos céus por ajuda. É quando aparece Earl (Leon Rippy), um anjo que revela que as chances de Grace estão acabando, mas que ele deseja ajudá-la a retomar o caminho correto, mas a jornada de volta não será fácil. A série é exibida pela TNT e, no Brasil, passa pelo canal pago Fox, permanecendo inédita em canal aberto.  Possui três temporadas, sendo que a quarta não foi renovada para 2010.

Nunca deixe um anjo irado.

10 – Legião (Legion, 2010) – O anjo Miguel (que, nas imagens, é retratado combatendo o demônio)  é o protagonista deste longa-metragem que ia estrear nos cinemas em março, depois passou para outubro e agora sai direto em DVD. O filme mostra a chegada do Apocalipse, quando Deus se desilude com a humanidade e manda sua legião de anjos para destruir a Terra. Mas Miguel se rebela contra as ordens divinas e decide ajudar as pessoas, especialmente a garçonete de uma lanchonete na beira da estrada, que estaria grávida do novo Messias.

Talvez você que está lendo não acredite em anjos. Mas saiba que eles existem de verdade. Talvez não da forma como são retratados, com asas, roupa branca e brilhante e auréola sobre a cabeça. Existem pessoas ao seu lado que, pelo modo gentil de tratar os outros, a dedicação e o amor, fazem o papel dos anjos celestes. Ou, quem sabe, são a forma que estes encontraram de estar presentes em nosso meio sem levantar suspeitas. De uma forma ou de outra, anjos estão presentes no dia a dia e a ficção sempre usa aquilo que povoa nosso imaginário para criar boas histórias. Graças aos céus!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s