O Último Mestre do Ar

A convite do amigo Jota Silvestre, do site Papo de Quadrinho, fui assistir a pré-estreia do filme O Último Mestre do Ar (ô sacrifício!!), em exibição exclusiva para a Imprensa na última quarta-feira. O filme é baseado no anime Avatar: The Last Airbender, criado por Michael Dante DiMartino e Bryan Konietzko e exibido pelo canal Nickelodeon. Como James Cameron já tinha registrado o nome “Avatar”, o diretor M. Night Shyamalan (Sinais, Sexto Sentido, A Vila) manteve o subtítulo para a produção, que conta a história de Aang, um garoto que possui o poder de controlar os quatro elementos (ar, água, terra e fogo), motivo pelo qual ele é profetizado como Avatar, um ser único e especial que nasce uma vez a cada século e é responsável por unificar os reinos da terra.

Aang é o dominador do ar

Cada tribo tem habitantes que controlam os elementos

A história se passa numa terra fictícia, separada em quatro reinos, onde cada um representa um elemento e tem alguns habitantes capazes de controlar apenas o elemento de seu reino. O povo da Nação do Fogo usa o seu poder para dominar os outros enquanto tenta encontrar o profetizado Avatar para adquirir o poder absoluto e assim, manter seu domínio sobre todo planeta. Enquanto isso, a jovem Katara, dominadora da água, e seu irmão Sokka encontram, preso no gelo, o jovem Aang. Ao libertá-lo, descobrem que ele é o último dos dominadores do ar (daí o nome do filme) e que havia estado no gelo por mais de 100 anos, desde que fugiu do templo em que treinava o controle de seus poderes.

Cadê a carne do churrasco?

O pequeno mestre chama a atenção do Príncipe Zuko, da Nação do Fogo, que foi expulso do reino por seu pai, o Senhor do Fogo Ozai, e deseja recuperar sua honra. Ao descobrir que Aang é o Avatar, Zuko enxerga uma possibilidade de redenção e faz de tudo para capturá-lo. Zuko é o vilão da história, mas até que é possível simpatizar com ele, levando em conta suas motivações e sua humilhante história de vida. Embora Aang possua o poder de controlar todos os elementos, ele não tem o treinamento adequado e precisa aprender primeiro.

Aang domina todos os elementos

Começa então, sua caminhada rumo à fortaleza da Tribo da Água do Norte para aprender a dominar este elemento. Acompanhado de Katara e Sokka e perseguido por Zuko, Aang vai ter que encontrar em si mesmo a força necessária para vencer os desafios e conseguir cumprir sua missão e por um fim à dominação da Nação do Fogo. Vale destacar a atuação de Noah Ringer, que interpreta Aang: apesar de ser seu primeiro trabalho como ator (ele é campeão de artes marciais de Dallas), o jovem está perfeitamente à vontade no papel. Tanto ele quanto Zuko (o ator Dev Patel, de Quem quer ser um milionário?) são faixas-pretas de Taekwondo. Aliás, cabe uma curiosidade: para diferenciar os domínios dos elementos, foram usados estilos de lutas diferentes: Baguazhang para o Ar, Tai Chi para a Água, Hung Ga para a Terra e Kung Fu Shaolin para o Fogo.

Artes marciais servem de coreografia

Shyamalan também teve o cuidado de escolher um elenco de mestiços, simbolizando todas as nações da terra. São descendentes de coreanos, japoneses, mongóis e africanos de todas as idades, num total de mais de seis mil atores. O filme tem bons momentos, efeitos especiais bem realistas (as cópias em 3-D não fazem tanta diferença nos efeitos) e ação na medida certa para agradar à garotada, mesmo aqueles que não conhecem o desenho animado. Fica a dúvida se vai agradar os pais na mesma medida, mas certamente, O Último Mestre do Ar não decepciona.

Concentre-se, Daniel-San... ops!... Aang!

É importante esclarecer que este filme é o primeiro de uma trilogia. Na impossibilidade de adaptar tantas horas de história em apenas um filme de duas horas, o diretor optou por dividi-lo em três, da mesma forma que no anime, em que cada temporada representa um “tomo” ou capítulo. Este é o “Tomo Um: Água”, o próximo será a Terra e, por fim, o Fogo. Portanto, a história deixa a impressão de que não termina, mas trata-se de um final aberto, com um gancho para os próximos capítulos. A batalha final entre Aang e Zuko vai ficar mesmo para o final. Até lá, vale curtir cada momento dessa intrigante história de buscas, conflitos internos e escolhas.

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s