A Última Família de Krypton

A DC acaba de lançar uma minissérie do Superman que faz parte do selo Elseworlds, que apresenta aventuras passadas em realidades alternativas, fora da cronologia oficial. O arco Last Family of Krypton mostra o que aconteceria se, ao invés de trazer apenas o bebê Kal-El para a Terra quando Krypton foi destruído, o foguete tivesse também seus pais, Jor-El e Lara. A história tem várias características que a tornam muito mais atrativas para os fãs do Homem de Aço.

Família El na Terra

Primeiro, ela traz de volta ao universo do Superman o roteirista Cary Bates, que já trabalhou com o herói por mais de 20 anos (dos anos 60 a meados dos anos 80). Além disso, a arte é feita pelo paulistano Renato Arlem, conhecido por seu trabalho nos títulos do Surfista Prateado da série Aniquilação, da Marvel. Não bastasse isso, as capas são um show à parte, pois contam com a arte realista do também brasileiro Felipe Massafera, cujo estilo é bastante comparado ao de Alex Ross. Massafera também fez várias capas para a revista Mundo dos Super-Heróis, da Editora Europa.

Nem pássaro, nem avião: é o Super Bebê!

Por ser uma aventura fora da cronologia, a trama pode “brincar” com os eventos da origem do Homem de Aço e é isso que acontece. O primeiro número mostra a chegada da família El à Terra e sua adaptação aos costumes do planeta. Na segunda edição, que chegará às comic shops em setembro, o jovem Kal-El começa a trabalhar como repórter no Planeta Diário, seu pai passa a colaborar com a empresa de um rapaz chamado Lex Luthor enquanto Lara realiza alguns trabalhos de caridade na Fundação Wayne. É quando nascem dois novos membros da família: Bru-el e Valora. Em outubro, a conclusão da história mostra a superfamília tentando evitar que a Terra tenha um destino semelhante a Krypton.

O futuro da Terra depende de Krypton

Pela sinopse, esta minissérie promete ser muito boa ao apresentar uma versão diferente do Homem de Aço que todos conhecemos. No entanto, ela ainda deve demorar até o final do ano que vem para chegar ao Brasil. Enquanto esperamos, fica o consolo de saber que nossos artistas estão se destacando lá fora, principalmente num mercado tão segmentado como é o de quadrinhos. Levando em consideração que essas histórias são lidas ao redor do mundo todo, é o talento brasileiro que vai com elas, mostrando que o Brasil tem muito mais para oferecer do que samba e futebol.

Arte de Felipe Massafera para a revista Mundo dos Super-Heróis

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s