Continuações que cansam

Todo fã de cinema gosta de ver um filme bacana gerar uma continuação e poder repetir a experiência de rever os personagens que tanto gostou em novas aventuras. Alguns filmes já são feitos para gerarem continuações, como no caso do Harry Potter e Crepúsculo, por exemplo, que foram baseados numa série de livros. Outros, não são feitos com esse objetivo, mas tem se tornado uma prática comum em Hollywood os atores assinarem seus contratos já prevendo uma possível continuação, caso o filme traga o retorno esperado pelos estúdios.

Superman só teve dois grandes filmes

No entanto, raramente uma franquia passa do terceiro capítulo sem se tornar cansativa e perder o rumo. Tirando a prova dos nove:

  • Guerra nas Estrelas (1977) teve um ótimo começo, uma segunda parte melhor ainda e um terceiro capítulo bom, mas cuja qualidade caiu bastante. Quando inventaram de fazer mais três filmes, sabemos o que deu…
  • Superman (1978) foi maravilhoso; Superman II foi excelente… já Superman III deixou a desejar e o IV, sem comentários.
  • Homem-Aranha (2002) foi bem legal, o 2 foi melhor ainda e o 3… bem…
  • X-Men (2000) foi o princípio para a febre das adaptações de quadrinhos, X-Men 2 foi melhor ainda e X-Men 3 deixou bastante a desejar.
  • De Volta para o Futuro (1985) começou bem, teve uma continuação legal e uma terceira parte meia-boca.
  • Shrek (2001) foi engraçadíssimo, a segunda parte melhorou e a terceira parte ficou devendo.

Indiana Jones é uma franquia que deu certo

E eu poderia citar muitos outros exemplos de filmes que caíram na terceira parte. Evidentemente, também poderia citar filmes que mantiveram o bom nível e até melhoraram com o tempo (Indiana Jones é um deles). Mas infelizmente, Hollywood tem essa tendência de achar que tudo pode virar continuação, mesmo que não se tenha uma boa história para contar. É aí que a porca torce o rabo, porque tudo o que é demais cansa.

Alguém aguenta novos jogos?

Um bom exemplo de uma franquia que cansou foi Jogos Mortais. Achei o primeiro filme fantástico. Um exemplo de que não é preciso um orçamento milionário nem efeitos especiais de primeiro mundo para se contar uma história inteligente. Um roteiro que prende o espectador do primeiro até o último minuto. O segundo filme também foi uma surpresa, pois se o que prendia no filme anterior era tentar descobrir quem é o assassino, como fazer uma continuação se este já havia sido revelado? Eles conseguiram, e de forma surpreendente.

No entanto, a partir do terceiro capítulo, o “jogo” já não tem mais a mesma graça e ir ao cinema se tornou apenas um exercício sadomasoquista: o prazer de ver gente sendo decepada e o sangue escorrendo para testar até que ponto as pipocas aguentam ficar no seu estômago. Eu me rendi à terceira parte, mas depois não fui mais. E este ano estreia o capítulo sete. “O Chamado” também vai ganhar um terceiro capítulo. Tenho minhas dúvidas se a história valerá a pena. Até o espírito de Samara precisa descansar e Hollywood não deixa…

*REC² estreia mês que vem

Há alguns dias atrás comentei aqui sobre um terror uruguaio que promete bons sustos aos fãs do gênero: A Casa Muda. O estilo “câmera em primeira pessoa” tem sido bastante copiado desde A Bruxa de Blair e, neste quesito, considero o espanhol [*REC] como um filme que representa bem a palavra “terror” (fiquei uns dois dias com medo de escuro). A segunda parte ([*REC]² – Possuídos), que mostra o que aconteceu logo depois dos fatos do primeiro longa, estreia no mês que vem no Brasil e promete ser tão bom quanto o primeiro – estou no impasse se assisto ou não.

Fiquei sabendo que já estão sendo rodados [REC]³ – Gênesis, que conta como começou a infestação com o vírus que contaminou os moradores do edifício – apesar que não é bem um “vírus”, mas não vou contar o que é pra não estragar a surpresa de quem não viu – e [*REC]4 – Apocalipse mostra o que acontece no mundo devastado por ele. A partir daí, será que ainda haverá uma quinta parte? Livros da Bíblia para subtítulos não faltam…

Gênesis e Apocalipse: o início e o fim

Não sou daqueles que gostam de criticar algo sem ver, mas tudo leva a crer que estamos diante de um daqueles casos de sucesso que sobe à cabeça do diretor e ele acha que pode continuar com algo indefinidamente. Seria preferível manter o nível do primeiro e segundo fiilmes e ser reconhecido como um diretor competente do que arriscar novos capítulos e jogar todo seu histórico no ralo. Tomara que eu esteja errado. O tempo dirá.

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s