O fim para sempre

Estreou no final de semana passado o capítulo final da saga do ogro Shrek. Pelo menos, é o que os produtores garantem. No entanto, boatos dão conta que ainda serão produzidos filmes solo do Burro e do Gato de Botas. Se serão produzidos mesmo, só o tempo dirá. Mas vale dizer que Shrek se tornou uma das franquias mais bem sucedidas da história da animação, a ponto de ameaçar a liderança da toda-poderosa Disney-Pixar.

A bela e a fera - ou quase isso!

A nova aventura do ogro malvado (que de malvado só tem a fama) recupera o fôlego perdido depois de um terceiro capítulo morno e encerra a quadrilogia voltando às origens. Nem poderia ser diferente, já que é no início que está a sacada genial do personagem. Para quem esteve hibernando na última década, aí vai o resumo: Shrek é um ogro mal humorado que vive sozinho na floresta e não gosta de companhia. No entanto, um feitiço milenar conjurado em uma princesa acaba com o sossego da criatura, que vê seu espaço invadido por vários pretendentes a salvá-la. Para ter de volta sua paz, o ogro se junta a um burro tagarela e parte para o castelo a fim de salvar a princesa e matar o dragão que a aprisiona. No entanto, ele descobre que ela se transforma em ogro à noite e se apaixona por ela, enquanto que o Burro se apaixona pelo dragão, que, na verdade, é uma “dragoa”. Momentos hilariantes e piadas inteligentes com os clichês dos contos de fada garantem a diversão.

Resista se for capaz

A segunda aventura foi ainda melhor, pois incorporou outros personagens famosos: Pinóquio, os Três Porquinhos e o Lobo Mau, o Homem-Biscoito e o Gato de Botas, com seu impagável sotaque latino e o olhar de pidão que comove o mais insensível dos corações. A surpresa fica por conta da vilã: a própria fada madrinha, que faz de tudo para impedir o casamento dos dois ogros apaixonados. Pior que as maldades da bruxa, isto é, da fada, foi Shrek enfrentar um jantar com o pai de Fiona para pedi-la em casamento.

Família feliz

Longe de ter um “… e viveram felizes para sempre” em suas histórias, Shrek e Fiona precisaram encarar suas responsabilidades no terceiro capítulo. Estas vieram tanto com o governo do reino de Tão Tão Distante como com a chegada de trigêmeos. Nesse momento, a franquia já dava mostras de cansaço e falta de assunto para boas piadas. Difícil imaginar que viria uma quarta história. Porém, como foi dito, ela veio e, para não faltar assunto, voltou-se ao começo.

Shrek e Rumpel... quem?

Desta vez, Shrek está entediado com a rotina e sente saudades dos dias em que era temido na floresta. Sabendo de seu desejo, o duende trambiqueiro Rumpelstiltskin (também saído dos contos de fada) oferece ao ogro 24 horas para que ele possa satisfazer sua vontade. Em troca, ele apenas teria que ceder um dia qualquer de seu passado. O que Shrek não sabia é que o duende tiraria dele o dia do seu nascimento. Assim, toda a história de Tão Tão Distante é modificada. Como Shrek não existiu, Fiona se salva sozinha do castelo e se torna a líder de um grupo de ogros rebeldes, que lutam conta a tirania do rei Rumpel. Agora o ogro tem que reverter a situação e descobrir como voltar para a história novamente, pois, uma vez que não existe, ele desaparecerá ao fim das 24 horas.

Tem certeza que isso é filme para crianças?

Esse paradoxo temporal é o pretexto para o desenvolvimento um roteiro bem amarrado que garante boas piadas e diversão fácil. No entanto, é bom dizer que, embora elas gostem e se divirtam, o roteiro de Shrek é complicado demais para crianças. Aliás, já foi o tempo em que animações eram feitas para os pequenos. Hoje em dia, as piadas são bem mais adultas e remetem a situações que apenas os mais velhos se identificam. Nada mais justo, afinal são os pais quem acompanham seus filhos ao cinema e também precisam se divertir.

Se vai haver continuação? Bem... hã... sabe o que é...?

Shrek Para Sempre garante essa diversão. É um filme engraçado que renova a franquia ao mesmo tempo em que põe um ponto final nela. Talvez propositalmente, os autores fazem com que a história acompanhe a premissa de todos os contos de fada: quando estes chegam ao fim, basta abrir o livro novamente e recomeçar a história, num ciclo sem fim. É isso que faz os contos de fada atravessarem as gerações. E, certamente, é isso que faz de Shrek uma franquia divertida e campeã de bilheteria.

Veja o trailer do filme:

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s